“O Quénia perdeu uma joia”, diz a federação, referindo-se à morte de Agnes Tirop, aos 25 anos, que terminou em quarto lugar na prova olímpica dos 5.000 metros de Tóquio2020 e que, há cerca de um mês, bateu o recorde mundial dos 10.000 metros em prova de estrada, exclusivamente feminina (30.01 minutos).

A carreira de Agnes Tirop disparou quando a atleta queniana conquistou o título mundial de corta-mato, em 2015, aos 19 anos, tornando-se a segunda campeã mais jovem de todos os tempos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.