O golo surgiu mesmo no final da primeira parte, com Cristiano Ronaldo, com finalização à matador, a aproveitar uma defesa incompleta de Woodman a remate de Greenwood.

O tento foi o 119.º de Cristiano Ronaldo pelos ‘red devils’, emblema pelo qual o português tinha marcado pela última vez no dérbi com o Manchester City (2-0), em 10 de maio de 2009, época após a qual se transferiu para o Real Madrid.

No entanto, Ronaldo voltaria a marcar, aos 62 minutos, a passe de Luke Shaw, depois do Newcastle empatar aos 55 minutos por Javier Manquillo.

Mas Ronaldo não só não foi o único português em campo, como também não foi o único a inscrever-se na lista de marcadores.. Bruno Fernandes, melhor marcador da equipa, com agora quatro golos, fez um remate à entrada da grande área indefensável, a passe de Paul Pogba, aos 79 minutos.

O jogo não terminaria sem mais um golo do United, por Jesse Lingard, já no período de descontos.

Na sexta-feira, o treinador da equipa de Manchester, o norueguês Ole Gunnar Solskjaer, que chegou a ser companheiro de equipa do português na equipa inglesa, já tinha dito que Cristiano Ronaldo seria utilizado em algum momento do jogo com o Newcastle, mas sem revelar se seria titular, o que veio a acontecer.

O ‘palco dos sonhos’, designação atribuída a Old Trafford, vê assim regressar da melhor maneira um dos mais emblemáticos jogadores da história do Manchester United, equipa que Cristiano Ronaldo representou entre 2003 e 2009, conquistando vários troféus coletivos e individuais.

O avançado, de 36 anos, que iniciou a época na Juventus e foi oficializado em 31 de agosto como reforço dos ‘red devils’, deixou em 2009 o Manchester United, assinando então pelo Real Madrid, que representou até 2018, durante nove épocas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.