O técnico desvalorizou o embate do Sporting de Braga com os ‘leões’ para o campeonato, que os minhotos perderam 2-0, tal como o tinha feito em relação à partida com o Benfica, que venceram por 3-2, no Estádio da Luz.

“A história e o passado não contam para nada, não têm nada a ver com este jogo. Há um foco muito grande das duas equipas, que vão querer ganhar, o Sporting é um adversário difícil, que joga bem, com um bom treinador, temos respeito máximo, mas queremos a taça para nós”, disse na antevisão da partida, em Leiria.

Ainda assim, o técnico considerou que, em relação a esse jogo em Alvalade, há três semanas, o Sporting de Braga está “mais equilibrado”, porque tem mais opções.

“Tivemos algumas dificuldades na altura por causa da covid-19, ainda que não a fazer o ‘onze’, mas, com mais opções, estamos mais preparados e equilibrados e isso é um ponto positivo que queremos explorar. O que conta é a estratégia e a dinâmica de jogo e espero que o Braga tenha a mesma dinâmica, principalmente a ofensiva, e que sejamos nós a levar o troféu para Braga num ano de centenário”, reforçou.

Carlos Carvalhal abordou ainda o crescimento do clube nos últimos anos que conduziu o Sporting de Braga ao estatuto incontestado de ‘quarto grande’ a seguir aos tradicionais Benfica, FC Porto e Sporting.

“O presidente [António Salvador] foi muito claro em recentes entrevistas sobre o posicionamento do Braga: foi, é e será sempre ‘outsider’ dos ‘três grandes’, pela sua grandeza social, pelo investimento, pela proteção que têm a nível geral. O Braga estará sempre a morder os calcanhares de um deles, que se possa distrair numa época, ou dois, ou três, que é mais raro, mas já aconteceu, aí o Braga pode ter uma palavra a dizer”, disse.

Contudo, vincou, Benfica, FC Porto e Sporting “são e serão sempre os principais candidatos”. “O Braga luta por diminuir essa diferença e tem escalado uns degraus [nessa luta], sendo que isso não invalida, como no último jogo com o Benfica, em que provou que foi melhor, que, no campo, jogue olhos nos olhos perante qualquer adversário, em qualquer estádio”, completou.

O treinador revelou ainda não estar preocupado por Helton Leite, guarda-redes do Benfica que testou positivo para o novo coronavírus, ter jogado com os ‘arsenalistas’ na quarta-feira.

“Vivemos num meio extremamente controlado, depois da minha casa, o meu local de trabalho é onde me sinto melhor, tudo o que seja fora disso cria-me alguma ansiedade, até estar aqui. Pode acontecer a qualquer um hoje em dia [ficar infetado], mas temos que fazer tudo o que está ao nosso alcance para manter o futebol, ser um exemplo de luta contra o vírus, levar a nossa empreitada de início ao fim. As pessoas estão em casa e nós somos pagos para entreter as pessoas”, disse.

Questionado sobre o alegado interesse do Sporting em Paulinho, o técnico diz ser um assunto que “já faz parte do anedotário”.

“Já ninguém liga a essas notícias, faz lembrar aquela situação de um grande jogador que vinha para Portugal, e não veio, e encheram-se páginas de jornais durante 45 dias”, exemplificou, numa alusão implícita à ‘novela’ entre Edinson Cavani e o Benfica no último defeso.

Sentado ao lado do técnico, o extremo Ricardo Horta desvalorizou o facto de o Sporting de Braga ter menos 24 horas de recuperação do que os jogadores ‘leoninos’ e frisou que a equipa está “com muita intenção de vencer”.

“Nós, jogadores, estamos habituados a esta sequência de jogos, a jogar com poucos dias de diferença, e esse é um fator que não se vai sentir nesta final. Creio que será uma final muito bem disputada entre duas grandes equipas. Estamos recuperados e preparados”, disse.

O jogador, de 26 anos, a cumprir a sua quinta temporada nos minhotos, considerou estar a atravessar o melhor momento da carreira.

“Todos os jogadores têm grandes momentos e outros menos bons, faz parte da nossa carreira. Sinto que estou num bom momento, já o ano passado me exibi a um muito bom nível, posso dizer que estou na melhor fase da carreira, mas isso deve-se muito à equipa e, principalmente, ao clube que tem evoluído muto nos últimos anos”, disse.

Sporting e Sporting de Braga, detentor do título, disputam no sábado a inédita final da 14.ª edição da Taça da Liga, ambos em busca de um terceiro troféu, em encontro marcado para o Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, a partir das 19:45.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.