William, que apontou o seu nono golo no campeonato, aos 17 minutos, e Matheus Pereira, aos 84, antes de sair de ambulância após um choque com Mano, selaram o triunfo dos flavienses, que ainda falharam um penálti, aos 81, por Pedro Tiba.

Com este resultado, a equipa de Trás-os-Montes mantém-se isolada na sexta posição, com 36 pontos, enquanto o `onze´ de Ivo Vieira sofreu a terceira derrota consecutiva e continua com 21 pontos, para já no 16.º posto.

O “simbólico” pontapé de saída do jogo foi dado pelo selecionador nacional de futsal, Jorge Braz, que se sagrou campeão europeu na modalidade em 10 de fevereiro, na Eslovénia.

O técnico, que fez formação e integrou a equipa principal do Desportivo de Chaves nas épocas 1991/92 e 1993/94, e que, atualmente, é sócio do clube, foi assim homenageado pelo emblema `azul-grená´, que o presenteou ainda com uma camisola oficial personalizada.

Depois desta homenagem, o jogo arrancou com o domínio do Estoril Praia que, desde o primeiro minuto, se instalou no meio-campo da equipa de Trás-os-Montes.

Os comandados de Luís Castro procuravam sair em ataques rápidos e, foi num desses lances, que surgiu o golo de William, aos 17 minutos, que, após uma assistência longa de Paulinho, atirou de pé esquerdo para inaugurar o marcador.

Mesmo em desvantagem, o Estoril Praia manteve-se sempre por cima no encontro e mais perto da baliza de Ricardo, mas sem criar grande perigo, com exceção a um remate cruzado de Pêpê, aos 22 minutos, rente ao poste.

Na parte final dos primeiros 45 minutos, o encontro tornou-se mais equilibrado, com as equipas a repartirem entre si o domínio do desafio.

Na segunda parte, com a entrada de Stephen Eustáquio para o lugar de Filipe Melo, o Desportivo de Chaves melhorou, passou a ter mais bola no meio-campo e a controlar o jogo.

Davidson, servido por Paulinho, aos 48 minutos, poderia ter aumentado a vantagem, mas atirou ao lado.

À medida que o adversário ia desaparecendo no encontro, os comandados de Luís Castro iam criando perigo e, aos 68 minutos, William, a passe de Stephen Eustáquio, rematou ao lado.

Logo depois, foi a vez de Pedro Tiba atirar por cima, jogador que, aos 81 minutos, falhou na marcação de uma grande penalidade, assinalada pelo árbitro Rui Oliveira após consultar o vídeoárbitro.

Apático no jogo e sem conseguir assumir as suas rédeas, ao contrário do que fizera na primeira parte, o Estoril Praia apenas assustou com Andrade, que do meio da rua, atirou para defesa de Ricardo para canto.

A melhor prestação do Desportivo de Chaves traduziu-se no segundo golo, por Matheus Pereira que, num lance de contra-ataque, depois de tirar Mano do caminho, rematou colocado sem hipóteses para o guardião `canarinho´, aos 84.

Já nos últimos minutos, o jogador, emprestado pelo Sporting ao Desportivo de Chaves, caiu inanimado no campo, após um choque, e, depois de assistido no campo, seguiu para o Hospital de Chaves.


Artigo atualizado às 19:10. Acrescenta comentário à partida.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.