No sábado, várias pessoas, entre os quais 47 tenistas, foram colocados em quarentena, sem poderem sair para treinar, depois de três pessoas terem testado positivo ao novo coronavírus em dois voos fretados pela organização do primeiro torneio do 'Grand Slam' da temporada, que se disputa de 08 a 21 de fevereiro.

"Todos sabíamos que havia um risco significativo com esta pandemia. Mas o Open da Austrália vai decorrer como planeado e vamos continuar a dar o nosso melhor para arranjar uma solução aceitável para esses jogadores", referiu Tiley.

O 'patrão' do Open da Austrália adiantou que estão a tentar arranjar forma de colocar material de treino no quarto dos tenistas afetados, mas admite que estes estarão mal preparados para os torneios de preparação, que vão começar em 31 de janeiro, em Melbourne.

"Não estão descartados [de participar]. É evidente que neste estado não poderão preparar-se no court. Mas vamos tentar superar isso, vamos falar com os jogadores para ver o que podemos fazer", assumiu.

Todos os jogadores que viajaram para participar no Open da Austrália estão obrigados a fazer quarentena, embora possam treinar, sob supervisão, durante um máximo de cinco horas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.