"Foi a minha primeira grande volta. Só ter terminado já é muito bom, mas fazer um quarto lugar na geral é um sonho tornado realidade" disse aos jornalistas o jovem ciclista.

"15 dias de rosa é impressionante, espero um dia voltar a vestir essa camisola", confessou. "É a minha primeira grande volta. Não me posso considerar um voltista, mas acho que é um bom feito. Estou feliz com a minha prestação", afirmou o ciclista aos jornalistas em Milão.

Para o futuro, quer continuar a “lutar pela geral” em grandes Voltas, ainda que hesite em classificar-se como voltista. Almeida descreveu o que conseguiu como “um bom feito” e vai manter “o foco na geral e em corridas de uma semana”.

O corredor de A-dos-Francos (Caldas da Rainha) conseguiu alcançar o quarto lugar da classificação geral, superando a quinta posição de José Azevedo em 2001. “É bom levar a bandeira portuguesa numa grande Volta. E é impressionante estar à altura do José Azevedo, estou muito feliz", admitiu.

O ciclista das Caldas da Rainha agradeceu ainda o apoio dos português. "Um grande obrigada a todos pelo apoio; não é só nos momentos bons que precisamos, é também nos momentos maus", disse.

Para 2021, não avança já objetivos, mas faz um balanço positivo da primeira grande Volta da carreira, mesmo que o entusiasmo tenha sido “bastante” e se queira “sempre mais e mais”.

O português de 22 anos, que liderou a prova durante 15 dias, ascendeu do quinto ao quarto lugar ao registar o quarto melhor tempo na etapa, ultrapassando o espanhol Pello Bilbao (Bahrain-McLaren), que ficou a 12 segundos, e assegurou a melhor classificação de sempre de um luso na Volta a Itália.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.