Esta foi a segunda queda em quatro corridas de Miguel Oliveira esta temporada no Mundial de MotoGP, ambas provocadas por pilotos da mesma marca (KTM).

Primeiro, foi o sul-africano Brad Binder a colocar o português fora da segunda corrida da temporada, em Jerez de la Frontera (Espanha), logo na primeira curva. No passado domingo, foi Pol Espargaró a deitar por terra as pretensões do luso ao pódio no GP da Áustria, a 11 voltas do final.

Já o italiano Danilo Petrucci (Ducati) sofreu uma repreensão escrita devido aos gestos obscenos dirigidos ao espanhol Aleix Espargaró (Aprilia) durante a sessão de qualificação para a mesma prova, no sábado passado, depois de o piloto da Aprilia o ter prejudicado na volta lançada.

Quanto ao acidente entre o francês Johann Zarco (Ducati) e o ítalo-brasileiro Franco Morbidelli (Yamaha), que levou mesmo à interrupção da corrida de domingo passado devido aos destroços que ficaram na pista, a decisão só será conhecida na sexta-feira.

Espanhol “chocado” com acusações de Miguel Oliveira

Em declarações ao Canal+ francês, Miguel Oliveira disse que Espargaró "é muito emotivo" e que "nem toda a gente nasce com a mesma inteligência" para abordar de forma cerebral as corridas.

O espanhol confessou-se hoje "chocado" com as palavras do piloto da Tech3, pois considerava que tinham "uma boa relação".

"Já estive nessa situação [ser atirado ao chão por adversários] muitas vezes, mas nunca faltei ao respeito aos meus companheiros. Ainda por cima, nem sequer pediu desculpa", disse Espargaró, considerando que as declarações do piloto português "foram uma enorme falta de respeito".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.