O número 214 do ‘ranking’ mundial deu excelente réplica ao décimo da hierarquia ATP e só cedeu ao fim de uma hora e 46 minutos de encontro no ‘court’ central do Clube de Ténis do Estoril.

Com este triunfo, Stefanos Tsitsipas, de 20 anos, garantiu nova presença nas meias-finais do torneio, repetindo o desempenho realizado na edição de 2018, quando foi eliminado por João Sousa antes da final que consagrou o português como campeão.

Nas meias-finais, o grego vai defrontar o vencedor do embate de hoje entre o belga David Goffin, 25.º do 'ranking' e quarto pré-designado, que eliminou João Sousa, e o tunisino Malek Jaziri, 75.º.

João Domingues admitiu hoje ter ficado “chateado” pela eliminação diante do grego Stefanos Tsitsipas nos quartos de final do Estoril Open em ténis, especialmente por não ter conseguido aproveitar algumas oportunidades no encontro.

“Sou muito competitivo. Para ser sincero é indiferente quem está do outro lado. Tive demasiadas chances e não aproveitei, estou chateado com isso. O balanço do torneio, de 0 a 100, teve 70% de coisas positivas”, analisou o tenista, de 25 anos, reforçando: “Tinha o jogo na mão, quando assim é ficamos tristes”.

Em declarações prestadas na conferência de imprensa realizada no Clube de Ténis do Estoril, o número 214 do ranking ATP enfatizou o peso de uma jogada no final do primeiro ‘set’, no qual estava a dois pontos de fechar o parcial e acabou por deixá-lo escapar.

“O que faltou foi ter aproveitado as minhas oportunidades, que foram muitas. A servir a 5-4, com o ponto 30-0, tinha uma bola fácil e falhei. Ele também teve mérito e nível para voltar ao jogo. Sinceramente, fez a diferença. Fiquei a pensar um pouco nesse ponto, não geri isso da melhor forma. Mas não foi só por aí que perdi o encontro”, reconheceu.

Questionado sobre as ilações a retirar do jogo e do desempenho no torneio, no qual conseguiu de forma inédita na carreira disputar os quartos de final, João Domingues assegurou que continua a ser “a mesma pessoa”, embora o desempenho nesta edição do Estoril Open represente um acréscimo de confiança para o futuro no circuito.

“Estou satisfeito com o nível de jogo a que estou a jogar, estou a conseguir pôr em prática muitas coisas que estamos a treinar. Saio daqui a acreditar mais em mim, é sempre bom ter bons resultados. Estou a colher os frutos de todo o trabalho, mas quero mais, ambiciono muito mais”, frisou, assumindo que o planeamento da época está feito apenas até Roland Garros, entre 26 de maio e 09 de junho.

Com a eliminação de João Domingues diante do tenista grego, décimo do ‘ranking’ ATP, o Estoril Open ficou hoje sem representantes portugueses.

(Notícia atualizada às 22h17)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.