No jogo mais esperado da 17ª jornada da Liga espanhola, o Barcelona venceu o ‘El Clássico’ contra o Real Madrid por 3-0, este sábado, e assegurou uma distância de 14 pontos de vantagem para o rival merengue na liderança da competição.

O uruguaio Luis Suárez abriu o marcador, aos 54 minutos do segundo tempo, e Lionel Messi ampliou de penalti, aos 64, depois de Dani Carvajal defender uma bola - “literalmente” - dentro da área e ser expulso. No último lance do jogo, Aleix Vidal recebeu um grande passe de Messi e fechou a conta, aos 90+3.

A formação comandada por Ernesto Valverde, que soma 14 vitórias e três empates, passou a contar mais nove pontos do que o Atlético de Madrid - que perdeu para o Espanyol na sexta-feira - e 11 face ao Valência e 14 em relação ao Real Madrid, duas formações que têm menos um jogo disputado.

Com aproximadamente 650 milhões de espectadores, ou seja, um décimo da população mundial, o clássico entre o Real Madrid de Cristiano Ronaldo e o Barcelona de Lionel Messi é o mais visto no mundo.

O argentino aproveitou a visibilidade para ampliar a vantagem no histórico de artilharia doe duelos entre as equipas: já são 25 no clássico, contra 18 do mítico jogador do Real Madrid, Alfredo Di Stéfano, e 17 de CR7. Nesta edição da LaLiga, o argentino chegou aos 15 tentos.

Messi também chegou aos 54 golos marcados em 2017, superando Robert Lewandowski, Edinson Cavani e Cristiano Ronaldo, com 53 cada, no topo dos marcadores europeus do ano.

'Show' de guarda-redes

Antes do apito, o capitão merengue Sergio Ramos mostrou a taça de campeão do mundo de clubes, depois do Real Madrid vencer o Grémio por 1-0 na final do torneio, em Abu Dhabi.

Logo no primeiro minuto, o Real Madrid chegou ao golo por Cristiano Ronaldo. Na cobrança de um canto, o português aproveitou o desvio na trave e colocou a bola no fundo das redes, de cabeça. No entanto, CR7 estava em posição de fora-de-jogo e o golo foi corretamente anulado, animando os adeptos merengues no Santiago Bernabéu.

As equipas tinham dificuldades para encontrar espaços, com leve superioridade dos anfitriões. Aos 10 minutos, Ronaldo perdeu mais uma possibilidade para inaugurar o marcador ao receber um passe de Toni Kroos. O português estava livre na área, tentou com a perna canhota e falhou de maneira pouco usual.

A resposta catalã só chegou aos 29 minutos, com Messi a deixar Paulinho na cara do golo. O brasileiro encheu o pé, mas o esférico parou numa bela defesa do guarda-redes Keylor Navas. Acostumado a ficar com a bola nos pés, o Barcelona sofreu para ter posse na casa do rival.

créditos: CURTO DE LA TORRE / AFP

O placar não desmarcou do zero por conta da boa atuação dos guardiões. No lance seguinte, Ronaldo apareceu bem no ataque mais uma vez, com um remate rasteiro cruzado pelo lado esquerdo da área. Ter Stegen esticou a perna para evitar o golo. Aos 42, o guarda-redes alemão contou com a sorte e viu a cabeçada de Karim Benzema arrasar a trave antes de sair.

A arte de bem acelerar e desacelerar

Após o intervalo, o Real Madrid não manteve a intensidade imposta no primeiro tempo. O Barça cresceu e passou a ficar mais com a bola.

Aos 53 minutos, em jogada de contra-ataque, o croata Ivan Rakitic carregou desde o meio-campo catalão até a entrada da área adversária, passou para Sergi Roberto, que cruzou rasteiro para Luis Suárez rematar firme para abrir o marcador. Foi o 10º golo do uruguaio no campeonato, assumindo a vice-liderança da tabela de melhores marcadores da competição, ao lado de Simone Zaza, do Valencia.

créditos: EPA/RODRIGO JIMENEZ

Oito minutos depois, Suárez ficou cara a cara com Navas e acabou freado pela defesa do costa-riquenho. Na sequência do lance, Paulinho cabeceou e Carvajal defendeu com a mão, o que acabou levando à sua expulsão e ao penálti. Messi seguiu para a bola e encheu o pé para ampliar a vantagem, aos 64.

Com um jogador a menos, o Real Madrid viu o Barcelona passar a mandar no jogo com toques que percorriam todo o campo. A vantagem fez os catalães diminuírem o ritmo, o que acabou por dar algumas oportunidades para os merengues reagirem.

Não fosse a boa atuação de Ter Stegen, que defendeu as boas tentativas do galês Gareth Bale e de Sergio Ramos, o Barça poderia ter deixado o Real voltar para a partida.

Passado o susto, os visitantes ainda aproveitaram a última chance do jogo para marcar o terceiro golo, ao minuto 90+3. Depois de dominar a bola fora do campo, num lance que escapou ao árbitro, Messi partiu pra cima de Marcelo, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para o centro da área, onde Aleix Vidal apareceu para bater firme e fechar o placar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.