Foi uma azáfama de futebol e tudo ao mesmo tempo. Ou seja, dez jogos às 16h00 para decidir as contas finais do principal escalão inglês de futebol.

Houve espaço para goleadas (5-0 do Manchester City ao relegado Norwich) e vitórias que não foram suficientes para garantir a manutenção (o Bournemouth bateu o Everton, mas precisava da vitória do West Ham diante o Aston Villa, algo que não se verificou).

Porém, para os portugueses envolvidos na Premier League há razões para sorrir para quase todos os envolvidos — a exceção será para os Wolves, de Nuno Espírito Santo (NES), que perdeu frente ao Chelsea e assim ficou fora das contas da Europa.

A Liga dos Campeões vai regressar a Old Trafford na próxima temporada. Bruno Fernandes, aos 71 minutos, na conversão de uma grande penalidade, começou a desenhar o triunfo dos ‘red devils’, fechado por Jesse Lingard (90+8). Diogo Dalot não constou na ficha de jogo, que culminou numa vitória por 0-2.

No sul de Londres, sem o luso Gedson Fernandes no banco dos ‘spurs’, o ponta de lança internacional inglês Harry Kane voltou a mostrar que está em boa forma, ao marcar pelo terceiro jogo consecutivo, à passagem do minuto 13, após boa combinação com o argentino Giovani Lo Celso. Na segunda parte, os ‘eagles’ chegaram à igualdade, por Schlupp, aos 53 minutos, fixando o resultado final (1-1).

A formação de Mourinho, sexta, com 59 pontos, estava com os olhos postos no resultado que o Wolverhampton, a depender de si próprio, alcançasse em casa do Chelsea. Contudo, os ‘wolves’ não conseguiram dar resposta aos golos de Mason Mount (45+1) e Olivier Giroud (45+4) e terminaram a prova com os mesmos pontos dos ‘spurs’, mas em sétimo, por culpa da desvantagem na diferença de golos, o primeiro critério de desempate.

O Tottenham está, neste momento, garantido na segunda pré-eliminatória da Liga Europa, mas, caso o Chelsea vença o Arsenal na final da Taça de Inglaterra, na próxima semana, os ‘spurs’ entram diretos na fase de grupos e os ‘wolves’, liderados por Nuno Espírito Santo, ficam com a vaga para disputar o acesso ou então têm de vencer a atual edição da segunda prova mais importante de clubes da UEFA para estar nas competições europeias em 2020/21.

Já sem hipóteses de almejar lugares europeus via campeonato, o Arsenal, com Cédric Soares no banco, tem de esperar e vencer a final da Taça para tentar a Liga Europa, apesar de hoje ter batido (3-2) o Watford, que, assim, acompanha o Norwich e Bournemouth, cinco anos depois de ter sido promovido, na viagem à segunda divisão.

Os ‘cherries’ até triunfaram (3-1) na deslocação a casa do Everton, de André Gomes, mas o Aston Villa, outro dos ‘aflitos’, somou um precioso ponto em casa do West Ham, suficiente para garantiu a ‘salvação’ no 17.º posto, o primeiro acima da ‘linha de água’, com 37. Xande Silva não saiu do banco dos suplentes dos ‘hammers’.

Com golos de Van Dijk (38), Origi (59) e Sadio Mané (89), o campeão Liverpool, com 99 pontos, bateu (3-1) o tranquilo Newcastle, 13.º, com 44, que se colocou em vantagem em St. James Park logo no primeiro minuto de jogo, graças ao remate certeiro de Dwight Gayle.

No Etihad, o segundo colocado Manchester City, com João Cancelo entre os titulares e Bernardo Silva como suplente utilizado, ‘esmagou’ (5-0) o lanterna-vermelha Norwich, fruto dos dois tentos anotados por Kevin De Bruyne, o jogador com mais assistências da Liga (20), e outros três por Gabriel Jesus, Raheem Sterling e Riyad Mahrez.

Jamie Vardy, aos 33 anos, sagrou-se o melhor marcador da Premier League, com 23 golos apontados nesta edição da liga inglesa.

* com Lusa

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.