Mesmo não competindo desde março, Federer, de 36 anos, assumiu o topo da hierarquia graças à eliminação de Nadal — que tinha ultrapassado o suíço na liderança do ‘ranking’ em 02 de abril – nos quartos de final do torneio de Madrid, no qual defendia o título.

Além da troca de posições entre Federer e Nadal, as outras alterações entre os 10 primeiros colocados passaram pela subida do sul-africano Kevin Anderson ao sétimo posto — a melhor classificação de sempre -, anteriormente ocupado pelo austríaco Dominic Thiem, que caiu para oitavo.

O alemão Alexander Zverev, vencedor em Madrid, permaneceu no terceiro lugar, enquanto o sérvio Novak Djokovic, antigo número um do mundo, protagonizou uma das maiores quedas no topo do ‘ranking’, de seis lugares, para o atual 18.º, a pior classificação desde 2006.

João Sousa, que subiu 20 lugares depois de se ter tornado o primeiro português a vencer o Estoril Open, continuou o percurso ascendente, conquistado mais uma posição, para se situar em 47.º, apesar de ter sido eliminado no domingo na segunda ronda do ‘qualifying’ de Roma pelo chileno Nicolas Jarry.

Sousa, de 29 anos, que tinha conquistado no Estoril o terceiro título na carreira, depois dos sucessos alcançados em Kuala Lumpur, em 2013, e em Valência, em 2015, tem como melhor classificação no ‘ranking’ mundial o 28.º lugar, atingido em 16 de maio de 2016.

No setor feminino, a romena manteve-se no comando do ‘ranking’, imediatamente à frente da dinamarquesa Caroline Wozniacki e da espanhola Garbiñe Muguruza, enquanto Michelle Larcher de Brito continua a ser a melhor representante portuguesa, tendo subido seis posições, para 514.ª.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.