“Tem muita competência fora de casa. Até podiam ter empatado na fase final do jogo na Suíça (2-0). É uma equipa bem concebida, bem organizada, põe tudo em campo. Os jogadores dão tudo. São fortes no espaço aéreo e no contra-ataque. Uma equipa muito perigosa. Devemos estar muito atentos para não corrermos algum risco”, advertiu.

Na conferência de imprensa de antevisão do desafio da sétima jornada do grupo B da fase de qualificação europeia, o técnico foi pródigo em elogios à formação que ocupa o lugar 89 do ‘ranking’ da FIFA.

“É uma equipa com jogadores de qualidade. O ‘capitão’ (Atli Gregersen) é o esteio do setor defensivo, o patrão. E tem um elemento mais experiente no meio campo. Edmundsson é muito perigoso na frente, rápido, com boa qualidade técnica. Forte no contra-ataque e em ataque rápido. Devemos ter muita atenção”, alertou.

Os 6-0 com que Portugal goleou fora o seu frágil rival não apanhará desprevenido o conjunto luso, que espera um adversário a jogar “diferente” do que fez em casa, “quando entrou muito forte, com atitude muito pressionante e a tentar que Portugal não conseguisse jogar”.

“Jogando fora, e pelo que observamos das Ilhas Faroé, vão usar todas as suas capacidades, os pontos mais fortes. São fortíssimos no espaço aéreo, nas bolas paradas e defensivo. Taticamente são muito bem organizados. Podem jogar numa linha defensiva de quatro ou eventualmente cinco, explorando o contra-ataque. Tem jogadores muito rápidos da frente”, completou.

Fernando Santos desvalorizou a menor intensidade competitiva de Cristiano Ronaldo — cumpre castigo de cinco jogos pelo Real Madrid –, recordando que o ‘capitão’ luso tem como filosofia única “vencer, seja um jogo oficial ou particular”.

Numa altura em que a época está no início, o selecionador admitiu que um dos critérios para montar a equipa é juntar futebolistas já com algum entendimento competitivo ou que trabalhem consigo há anos e conheçam a sua filosofia.

“O entendimento e entrosamento dos jogadores é diferente de um clube. Já não nos víamos desde a Rússia. Trabalhámos apenas dois dias, insuficiente para passar as ideias. Quem escolher vai corresponder em termos técnicos, táticos e, principalmente, mentais, o forte desta equipa”, prometeu.

Adrien está com a equipa, mas ainda não sabe se disponível para defrontar a Hungria no domingo em Budapeste: fará um teste na sexta-feira, altura em que ficará definida a sua aptidão.

Fernando Santos sublinhou ainda o foco “a 200 por cento” dos seus futebolistas na seleção, mesmo o daqueles cujo futuro é ainda incerto — assegura que nos treinos e palestas todos estão a cumprir, entendendo como “natural” que nos tempos livres pensem no rumo a dar à sua carreira desportiva.

Quanto à chamada de Bruno Fernandes, recorda que tem como filosofia chamar futebolistas com capacidade de proporcionarem ao grupo diferentes soluções para os problemas em campo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.