No Dubai, o técnico de 62 anos recebeu o galardão e, num breve discurso, lembrou que a conquista de títulos, como aconteceu no Euro2016, acontecem graças ao trabalho coletivo e não individual.

“Nas minhas equipas, o ‘eu’ não existe”, referiu Fernando Santos, acrescentando que o mais importante é Portugal ter vencido pela primeira vez um Europeu.

Também hoje, o técnico luso foi considerado o melhor selecionador de 2016 para a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol e, no início de janeiro de 2017, vai estar na luta pelo prémio FIFA para melhor treinador.

Nos prémios ‘Globe Soccer Awards’, que são entregues entre hoje e quarta-feira no Dubai, numa cerimónia que reúne várias figuras do mundo do futebol, Cristiano Ronaldo foi considerado pela quarta vez como o melhor jogador do planeta, tendo ainda sido galardoado com o troféu de futebolista mais solidário.

O capitão da seleção portuguesa não esteve presente, mas agradeceu através de videoconferência, tendo o galardão de melhor jogador sido recebido pelas mãos do presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, enquanto o de futebolista mais solidário do mundo foi recebido pelo empresário Jorge Mendes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.