"Estávamos preparados para pagar multas que normalmente se aplicariam a violações dos regulamentos do kit e tínhamos um forte compromisso de usar a braçadeira. (...) A FIFA deixou muito claro que aplicará sanções desportivas se os nossos capitães usarem as braçadeiras em campo. Não podemos colocar os nossos jogadores numa posição em que possam enfrentar sanções desportivas, incluindo cartões amarelos, por isso pedimos aos capitães que não tentem usar as braçadeiras nos jogos do Mundial", lê-se no comunicado conjunto.

As respetivas federações revelam-se desiludidas com esta medida e há quem admita, nomeadamente a entidade dos Países Baixos, uma análise à relação futura com o órgão máximo do futebol mundial.

"Estamos muito frustrados com a decisão da FIFA, que acreditamos ser sem precedentes - escrevemos à FIFA em setembro a informar sobre o nosso desejo de usar a braçadeira One Love para apoiar ativamente a inclusão no futebol, e não tivemos resposta", diz o comunicado.

Refira-se que, e de acordo com um artigo do jornal The Guardian, que cita duas fontes da organização qatari, esta posição é exclusiva da FIFA e nada a ver com "pressões" por parte da referida organização.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.