“Senti-me bem, sabia que ia ser um ‘heat’ dificílimo porque o John John é um ótimo surfista e está em ótima forma, sabia que precisava de apanhar as melhores ondas, não consegui, mas estou contente com o meu surf e desejo-lhe a melhor das sortes para o resto do campeonato”, afirmou Frederico Morais, que terminou o Meo Rip Curl Pro Portugal, da 10.ª e penúltima etapa do circuito, entre os 13.ºs classificados.

O ‘wild-card’ português conquistou 13,30 pontos (6,37 e 6,93), que foram insuficientes perante os 16,27 (8,50 e 7,77) do líder do ‘ranking’ mundial, com quem o português acabou por não conversar durante o sexto ‘heat’.

“Não trocámos palavras, acho que ele estava tão focado como eu, sabia que ia ser um ‘heat’ difícil e acabou por passar com ótima pontuação e um grande surf, por isso, merece que lhe dê os meus parabéns”, reiterou o português, enquanto o brasileiro Gabriel Medina defrontava o francês Jeremy Flores.

‘Kikas’ escusou-se a apontar um preferido na corrida para o título mundial, que ficou ligeiramente facilitada com a eliminação do campeão do mundo de 2014 e segundo da hierarquia, preferindo destacar a motivação para enfrentar as suas próximas provas no circuito de qualificação.

“Sinto que vou com muito moralizado, confiante, feliz e contente com o surf que apresentei e com os comentários. Agora é dar tudo no circuito de qualificação, que é o meu foco. Tive esta oportunidade incrível de participar aqui e acho que deixei toda a gente orgulhosa”, sublinhou ‘Kikas’, que, em 2015, ficou entre os quintos classificados em Peniche.

John John Florence, que falou à comunicação social antes da eliminação de Medina, admitiu “alguma pressão e nervosismo por estar na luta pelo título mundial e por defrontar Frederico Morais”.

“Ele [‘Kikas’] apanhou a primeira onda e eu fiquei a pensar que devia tê-la apanhado, porque estava ansioso por uma onda e assim que aconteceu percebi que estava fantástico, correu bem”, frisou o líder do circuito, agradecendo o apoio do público português, mesmo frente ao único surfista luso.

Com a eliminação de Medina, basta a John John Florence vencer a prova penicheira ou chegar à final, desde que o sul-africano Jordy Smith não seja o seu adversário no ‘heat’ decisivo.

Na quarta ronda, John John vai defrontar no segundo ‘heat’ Adriano de Souza, detentor do título mundial, e Michel Bourez, enquanto a primeira bateria vai ser disputada por Kolohe Andino, Joel Parkinson e Julian Wilson.

O período de espera do Meo Rip Curl Pro Portugal prolonga-se até 29 de outubro.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.