Hamilton gastou 1.31,304 minutos para fazer a sua melhor volta ao traçado russo, deixando o holandês Max Verstappen (Red Bull) na segunda posição, a 563 milésimos de segundo.

O finlandês Valtteri Bottas (Mercedes), companheiro de equipa do campeão mundial, sai da terceira posição, tendo ficado a 652 milésimos de segundo do autor da ‘pole’.

Lewis Hamilton ainda apanhou um susto durante a segunda das três fases da qualificação, pois quase não consegui fazer uma volta lançada devido ao despiste do alemão Sebastian Vettel (Ferrari), que partirá da 15.ª posição, e de a sua primeira volta lançada ter sido descontada por exceder os limites da pista.

“Foi uma das piores qualificações que fiz”, admitiu o piloto britânico, no final.

Hamilton revelou ter ficado “com o coração na boca o tempo todo”, até porque “queria ter ficado em pista para uma segunda tentativa”, mas foi chamado às boxes para troca de pneus e “nessa altura deu-se a bandeira vermelha”.

O piloto da Mercedes vai arrancar, assim, com pneus macios, “o que não é bom”, frisou, enquanto os principais adversários têm montados pneus intermédios.

Tendo uma longa reta pela frente após a partida, Lewis Hamilton sublinha que, “sem dúvida alguma”, será ultrapassado no cone de aspiração.

“Como eles têm pneus médios, vai ser complicado vencer”, disse ainda.

O GP da Rússia de Fórmula 1 é a 10.ª prova do campeonato, liderado por Lewis Hamilton, com 190 pontos, contra os 135 de Valtteri Bottas, que é segundo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.