Brandão, que seguia no terceiro posto da geral individual, a três segundos do camisola amarela, o espanhol Gustavo Veloso (W52-FC Porto), passa a ficar a 13, caindo para o oitavo posto.

A situação reporta a uma das assistências por avarias na bicicleta em que o chefe de fila da Efapel se aproximou carro de apoio na segunda etapa, que ligou, na sexta-feira, a Marinha Grande a Santo António dos Cavaleiros, em Loures, e na qual terminou em quarto lugar.

Em declarações à Lusa, o líder da equipa, Carlos Pereira, considerou esta uma decisão “completamente injusta”.

“O Jóni trocou de bicicleta três vezes nos últimos 80 quilómetros, o presidente dos comissários entendeu que numa das vezes houve auxílio e aplicou os 10 segundos. Não acho correto, e este critério, se é aplicado a ele, terá de ser aplicado a muita gente”, atirou, à partida para a terceira etapa, entre Santarém e Castelo Branco.

Na opinião do responsável, esta decisão, da qual não há possibilidade de recurso, é uma injustiça para um corredor “correto e sério, que luta diariamente para não perder tempo”, e espera que seja possível “provar” outras infrações similares no pelotão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.