Há fins de semana que têm tudo para ser épicos. E não, não estou necessariamente a falar daqueles que os protagonistas da saga "Hangover" tendem a passar. No caso de Jorge Jesus e do Flamengo, este é um fim de semana que tanto pode ser de êxtase como, lá está, de "ressaca".

Tudo começa no sábado, pelas 20h (hora portuguesa) no Monumental de Lima, no Peru. 38 anos depois, o Flamengo vai disputar a final da Copa Libertadores, a mais importante competição de clubes da América do Sul. Do outro lado encontrará o River Plate, histórico do futebol argentino e mundial, comando por Marcelo Gallardo, antigo internacional pelo país das Pampas e que já venceu a competição por três vezes pelos Milionarios: uma como jogador, em 1996 - numa equipa que contava como nomes como Enzo Francescoli, Hernán Crespo, Matías Almeyda ou Ariel Ortega -, e outras duas como treinador, em 2015 e 2017.

O desafio do Flamengo e de Jorge Jesus não será fácil, até porque, historicamente, o Flamengo tem menos "experiência" em finais desta competição do que o River. Enquanto que o Mengão jogou apenas uma final até 2019 (que, de resto, venceu, em 1981), esta será a 7.ª final da Libertadores para o conjunto argentino (venceu quatro, perdeu duas). Adicionalmente, apenas um treinador europeu já liderou uma equipa que venceu a competição - e logo um nome conhecido do futebol nacional. Falamos de Mirko Jozic, técnico que passou pelo Sporting nos anos 90, e que em 1991 levou o Colo Colo do Chile ao título continental.

Mas para além das emoções "continentais", o Fla pode ainda ter de prever algumas festividades "nacionais". Tudo isto porque o Palmeiras, 2.º classificado do Brasileirão a 13 pontos do Mengão, defronta o Grémio no domingo e, caso não consiga vencer a equipa que os comandados de JJ bateram no passado fim de semana, o Flamengo sagra-se campeão brasileiro sem precisar de pisar o campo. Recorde-se que, quando aterrou no Rio de Janeiro, o Fla estava em 3.º lugar do campeonato, a oito pontos do então líder Palmeiras (estávamos na 9.ª jornada). Depois disso, foram 24 jogos em que somou 19 vitórias, quatro empates e apenas uma derrota, numa recuperação em modo "rolo compressor" que tornou o Flamengo no mais que provável vencedor do Brasileirão desta época.

Ironicamente, poderá ser um dos maiores adversários de Jorge Jesus na presente época a "dar-lhe" o título. Falo, claro, de Renato Gaúcho, técnico do Grémio que ao longo da temporada tem provocado o técnico português.

O Grémio, de resto, foi eliminado pelo Fla nas meias-finais da Libertadores, numa eliminatória em que um empate na primeira-mão em Porto Alegre não fazia prever uma segunda-mão em que o Mengão esmagou o conjunto orientado por Renato Gaúcho por uns expressivos 5-0.

Fim de semana de emoções para Jorge Jesus, o Flamengo e toda a cidade do Rio de Janeiro, que em caso de dobradinha do Mengão pode viver o segundo Carnaval do ano.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.