“O espírito e a vontade é sempre de alcançar o melhor resultado, a vitoria, independentemente de sermos primeiros. Jogar na Liga dos Campeões, com grandes jogadores e num grande palco... isso já motiva qualquer atleta. O plantel está muito focado e determinado para vencer. Gestão? O mister é que sabe o melhor para o grupo e equipa”, disse.

Os ‘dragões’, que se apresentam desfalcados de Militão e Octávio, em risco de serem punidos, e Corona, que cumpre castigo, já garantiram o primeiro lugar da ‘poule’, com 13 pontos, seguidos do Schalke 04, com oito, Galatasaray, com quatro, e Lokomotiv Moscovo, com três, estando apenas em causa do terceiro lugar, que dá direito a disputar a Liga Europa.

“Todos os atletas gostam de competir na Liga dos Campeões e representar o FC Porto é a maior motivação. Estes encontros são difíceis e o maior desafio é continuar com o mesmo espírito e atuar concentrado e motivado desde o primeiro minuto”, acrescentou.

Antes de chegar ao FC Porto, em 2016, Alex Telles representou o Galatasaray durante duas épocas, o que significa que para o defesa brasileiro existe mais um motivo para ir viver “uma noite especial”.

“Não posso negar que vai ser noite especial, diferente, por encontrar o clube onde aprendi bastante e cresci. (...) Quando saímos de um clube esperamos deixar uma boa história, um legado interessante. Foram dois anos, mas com títulos. E deixei amigos que duram até hoje. Agora, o principal é pensar na partida e estar preparado para dar o melhor pelo FC Porto. No fim penso nisso”, assinalou.

Pela experiência no Galatasaray, ficou a certeza de que espera aos portistas “muitas dificuldades, num ambiente difícil”: “Todos conhecem a fama da Turquia, porém tudo dependerá da forma como nos portarmos em campo. Devemos estar bem, sem nos preocupar com os fatores externos”.

Alex Telles não assumiu estar numa forma menos apurada do que na época passada, decisiva na conquista do título português, antes garantido que o treinador Sérgio Conceição confia em si e no seu trabalho, assegurando que dá sempre “o máximo nos treinos e nos jogos”.

“Tenho a consciência de que a partir da época passada, em que tudo correu bem, todos esperam o meu nível máximo. Sei do meu potencial, do quanto estou a render e até onde posso chegar. O ‘mister’ confia e fala muito comigo. Trabalho sempre para dar o meu melhor em campo. Deixo a certeza de que sou exigente comigo mesmo e todos os dias dou o melhor no treino e nos jogos”, concluiu.

O desafio de terça-feira, da sexta e última jornada do grupo D, será arbitrado pelo bielorrusso Aleksei Kulbakov.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.