Para o encontro no Estádio do Dragão, no Porto, o espanhol Pep Guardiola elegeu uma formação inicial sem qualquer médio defensivo, ficando o espanhol Rodri no banco, lado a lado, entre outros, com o português João Cancelo ou Agüero.

O City vai entrar com Kyle Walker, Stones, Rúben Dias e Zinchenko, à frente de Ederson, uma linha de três médios, com Gündogan, Bernardo Silva e Foden, e um trio muito móvel na frente, com De Bruyne nas costas de Mahrez e Sterling.

Por seu lado, o alemão Thomas Tuchel vai apresentar o seu habitual esquema com três centrais (Azpilicueta, Thiago Silva e Rudiger), à frente de Mendy, com Reece James e Chilwell nas laterais e Jorginho e Kanté como médios centrais.

No trio da frente, estarão Havertz e Mount no apoio ao ponta de lança Werner.

O Manchester City disputa a sua primeira final da ‘Champions’, enquanto o Chelsea vai para a terceira, depois de perder a de 2007/08, para o Manchester United (5-6 nos penáltis, após 1-1), e vencer a de 2011/12, face ao Bayern Munique (4-3, após 1-1).

O Estádio do Dragão será palco da quarta final da principal prova europeia em solo luso, depois de uma no Estádio Nacional (vitória do Celtic sobre o Inter, em 1965/66) e duas no Estádio da Luz (triunfos do Real Madrid sobre o Atlético de Madrid, em 2014, e do Bayern Munique face ao Paris SG, sem público, em 2020).

A final da edição 2020/21 da Liga dos Campeões, entre os ingleses de Manchester City e Chelsea, tem início às 20:00, no Estádio do Dragão, no Porto, com um terço da lotação e arbitragem do espanhol Mateu Lahoz.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.