O piloto de Almada gastou 1.41,028 minutos para cumprir a melhor das 39 voltas ao traçado de Montmeló, em Barcelona, ficando a 1,239 segundos do mais rápido do dia, o italiano Franco Morbidelli (Yamaha).

“Foi um dia complicado aqui em Barcelona. Sabíamos de antemão que este traçado não tem um nível de aderência muito elevado, mas não esperávamos encontrar tantas dificuldades”, frisou o piloto português, que sofreu duas quedas, sem consequências físicas.

Oliveira explicou, em declarações à equipa Tech3, pela qual corre, que nem percebeu o “porquê” de ter caído “porque não houve nenhum tipo de aviso”.

“Sentia-me bem e, de repente, perdia a frente”, sublinhou.

Na sessão da tarde, a equipa Tech3 tentou algumas soluções para minimizar a falta de aderência da frente da KTM do piloto português, “mas nada produtivas”, segundo o próprio.

“Ainda temos amanhã [sábado] para trabalhar e analisar os dados, de forma a fazer um bom FP3 [terceira sessão de treinos livres, que apura os dez mais rápidos diretamente para a segunda fase da qualificação]”, disse.

E esse é, “como sempre, o objetivo” de Miguel Oliveira.

O GP da Catalunha de MotoGP será a oitava prova da temporada.

Atualmente, o piloto luso é o oitavo classificado, com 59 pontos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.