O piloto de Almada, que teve de passar pela primeira fase da qualificação, fez a sua melhor volta em 2.03,983 minutos, que lhe valeu apenas a 10.ª posição dos pilotos que disputaram a Q1 (apenas seguiam para a Q2 os dois mais rápidos), num dia em que o espanhol Jorge Martin (Ducati) conquistou a ‘pole position’ por apenas três milésimas e bateu o recorde do circuito americano.

As KTM têm estado a sofrer para encontrar um bom ritmo em Austin, com as quatro motas da marca austríaca a serem eliminadas nesta fase, não conseguindo a passagem à Q2.

Jorge Martin, que foi o mais rápido da Q1, acabou por conquistar a ‘pole position’ para a corrida americana, batendo o recorde do circuito texano, que pertencia ao espanhol Marc Márquez (Honda).

Martin roubou a pole por apenas três milésimas de segundo ao australiano Jack Miller (Ducati), que já festejava quando o espanhol cruzou a meta com o tempo de 2.02,039 minutos.

A Ducati parece ser a grande dominadora desta quarta prova pois colocou cinco motas nas cinco primeiras posições da grelha, pois Miller foi segundo, a 0,003 segundos e o italiano Francesco Bagnaia (Ducati) foi o terceiro, a 0,128 segundos, seguido do francês Johann Zarco (Ducati) e o italiano Enea Bastianini (Ducati) em quinto.

O francês Fábio Quartararo (Yamaha), campeão mundial em título, foi o primeiro dos pilotos equipados com outras marcas, ao ser o sexto mais rápido, já a 0,595 segundos de Martin.

Quartararo sofreu aqui a primeira queda da temporada, a cerca de oito minutos do final da sessão, mas sem consequências, tendo regressado às boxes ainda a tempo de voltar à pista com a mota de reserva.

O espanhol Marc Márquez (Honda), que nunca foi derrotado em MotoGP no circuito de Austin, apanhou Bastianini quando fazia a sua volta lançada e não foi além do nono lugar. É o pior resultado em qualificação do antigo campeão mundial neste circuito.

Já o espanhol Aleix Espargaró (Aprilia), líder do Mundial, com 45 pontos, também se ficou pela Q1, partindo da 13.ª posição para a corrida de domingo.

Este é o pior resultado em qualificação para Miguel Oliveira desde a última prova da época de 2021, em Valência, em que também partiu da 20.ª posição.

Nas três rondas anteriores, o piloto português fora 14.º no Qatar, sétimo na Indonésia e 16.º na Argentina.

Já na terceira sessão de treinos livres Miguel Oliveira foi 19.º, resultado que repetiu na quarta sessão, em que os pilotos fazem uma simulação de corrida.

À partida para esta prova, o piloto luso ocupa a sétima posição do Campeonato do Mundo, com 28 pontos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.