“O Comité Executivo da AUF tomou esta difícil decisão face ao atual momento e comprometido com o futuro próximo e com a obtenção dos resultados que todos esperamos”, refere o organismo, poucos dias após o Uruguai ter averbado a quarta derrota seguida na qualificação sul-americana para o Mundial2022, que coloca os ‘charrúas’ fora dos lugares de apuramento.

A AUF realçou o “importante contributo de Tabárez para o futebol uruguaio” e o “enorme legado” que o técnico deixa, reconhecendo ainda “os êxitos desportivos nos últimos 15 anos, que colocaram o Uruguai novamente entre os primeiros lugares do futebol mundial”.

Óscar Tabárez, de 74 anos, era o técnico há mais anos consecutivos à frente de uma seleção de futebol, tendo assumido o comando da ‘celeste’ em 2006, já depois de ter orientado a equipa entre 1989 e 1990, participando no Mundial1990, em Itália.

Nesta segunda passagem, que durou 15 anos, Tabárez conduziu o Uruguai à conquista da Copa América em 2011, além de ter qualificado a seleção para os últimos três Mundiais, em 2010, no qual os uruguaios terminaram no quarto lugar, 2014 e 2018.

Além da seleção uruguaia, o experiente treinador orientou ainda Boca Juniors, Peñarol, Cagliari, AC Milan, Oviedo, entre outros.

Quando faltam disputar quatro jornadas da qualificação sul-americana para o Mundial2022, o Uruguai está fora dos lugares de apuramento, ocupando o sétimo posto, com 16 pontos, apenas menos um do que a Colômbia, que está na quarta posição, a última que garante acesso direto ao próximo Campeonato do Mundo, no Qatar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.