Ogier, que foi o primeiro na estrada ao longo de todo o dia, concluiu as oito especiais na sétima posição, a 38,2 segundos do líder, o norueguês Mads Ostberg, em Citroën C3.

Este resultado permitir-lhe-ia ser campeão pela sexta vez consecutiva, pois Neuville está apenas na 10.ª posição, a 33,7 segundos do piloto francês, e o estónio Ott Tanak, em Toyota Yaris, é o quinto classificado, com uma vantagem de quase 22 segundos para Ogier.

"Apertei como um louco na última ‘especial’, onde as condições eram ainda piores do que na primeira passagem, de manhã. Estava no limite e não podia fazer mais", sublinhou Ogier, o atual campeão do mundo de ralis.

Neuville, que chegou à última prova do campeonato com um atraso de três pontos para o piloto da Ford, viu as contas complicarem-se na segunda passagem pelo troço mais longo, em Sherwood, com 26,7 quilómetros.

Após um salto, o pneu traseiro esquerdo do Hyundai saiu da jante e, pouco depois, o belga teve uma ligeira saída de pista em que deixou ‘calar’ o motor do carro.

O belga perdeu 45 segundos, caindo para o 10.º lugar e tendo, agora, a perspetiva de voltar a ser o segundo em pista no sábado, devido à inversão da ordem de partida para o segundo dia de prova.

"Não podemos perder a esperança, apesar do que aconteceu. É apenas o primeiro dia e apesar de as hipóteses do título terem ficado comprometidas, não sabemos o que vai acontecer nos próximos dois dias. Até estava a correr bastante bem. Apesar de sermos os segundos em pista, estava a correr bem. O objetivo era ficar à frente do Sébastien e estávamos a conseguir", lamentou Neuville, que viu, ainda, o jogo de equipa a funcionar na M-Sport.

Teemu Suninen e Elfyn Evans, colegas de Ogier na estrutura da Ford, pararam na ‘especial’ mais longa para o francês subir um par de lugares da classificação e beneficiar de uma melhor posição de partida no sábado.

Tanak, o outro candidato ao título, mas com um atraso muito maior para o líder do Mundial, vai conservando as ténues expectativas: ocupa a quinta posição, a 19,9 segundos do comandante, mas precisa de vencer para acalentar alguma esperança.

Sábado, disputa-se o segundo dia do rali da Austrália, 13.ª e última ronda do campeonato do mundo, com dez troços cronometrados, num total de 133 quilómetros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.