Patrícia Mamona logrou 14,19 metros com um vento regulamentar (1,9 m/s), no segundo salto, e conseguiu confirmar a marca de qualificação para os Europeus de Berlim, ganhando confiança para aceitar o ‘wild card’ que lhe foi oferecido pela Associação Europeia de Atletismo, por ter sido campeã europeia em 2016.

Lecabela terminou, porém, à frente da sportinguista, pois também saltou 14,19 metros, mas com vento antirregulamentar (2,6 m/s — acima dos 2,0 permitidos), que também lhe ‘anulou’ — exceto para a classificação da prova – o segundo melhor registo, de 13,98 metros (3,1 m/s).

A atleta da Juventude Vidigalense ainda conseguiu sair de França com um novo recorde pessoal, de 13,90 metros, com vento regulamentar (1,1 m/s), passando a ser a terceira melhor portuguesa de sempre. Tirou 42 centímetros aos 13,48 conseguidos em maio e conseguiu os mínimos ‘B’ para Berlim.

Em Soteville-les-Rouen, o pódio foi da língua portuguesa, já que a vencedora foi a brasileira Nubia Soares, com 14,69 metros (v: 1,3 m/s), que estabeleceu um novo recorde do Brasil (tinha 14,56 metros, regulares, e 14,59 em altitude).

Na classificação, Lacabela, que tem mínimos para Berlim no heptatlo, a prova em que deverá participar, foi segunda, à conta de dois saltos com vento antirregulamentar, com os mesmos 14,19 metros de Mamoma, mas com um segundo melhor salto, já que o segundo melhor da ‘leoa’ foi de 13,87 metros (v: +1,6 m/s).

Os Europeus de atletismo realizam-se em Berlim, de 7 a 12 de agosto.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.