Paulo de Carvalho esteve no Palácio de Belém e apesar de ser o seu dia de aniversário foi o Presidente da República que recebeu uma prenda das mãos do também músico - e filho - Agir, a quem coube entregar o álbum "Duetos" a Marcelo Rebelo de Sousa.

"É normal o Presidente da República estar junto de todos nós. Às vezes é acusado de estar em demasia, mas eu não acho nada. Acho que ele moralizou muito o país neste último ano, ajudou a moralizar e depois este fim de semana foi uma coisa sensacional a vários níveis e para vários gostos", justificou.

O músico explicou que, juntamente com o filho, veio entregar o seu mais recente trabalho discográfico a uma pessoa de quem gosta muito e por quem tem "uma enorme consideração", e que "manifestou também o desejo" de ter o álbum.

Paulo de Carvalho aproveitou a presença dos jornalistas para revelar uma informação "em primeira mão", depois de ter obtido o "sim" do chefe de Estado: "dia 08 de julho vamos apresentar este espetáculo em Lisboa, vamos tentar que seja com a presença de todos os companheiros que estão no disco a cantar comigo, mas também com a presença do senhor Presidente".

O resto do dia de aniversário, o músico vai aproveitar para trabalhar, uma vez que, também com o filho Agir, vai ensaiar para um espetáculo com brasileiro Ivan Lins, deixando ainda um obrigado ao público que o acompanha, uma vez que tem "uma dívida de gratidão enorme para com alguns milhares de pessoas".

Questionado pelos jornalistas sobre a vitória de Salvador Sobral na Eurovisão - festival no qual representou Portugal em 1974 com a música "E Depois do Adeus" e, depois em 1977, integrando o grupo "Os amigos" que interpretaram "Portugal no Coração" - Paulo de Carvalho começou por dizer que é "muito suspeito" porque "já gostava antes desta vitória no festival".

"Acho a cantiga lindíssima e acho que ele canta muito bem. É um grande músico e sobretudo é uma pessoa enorme, maravilhosa. Acho que, de diversas formas, nós merecemos", disse.

Em entrevista à agência Lusa, Paulo de Carvalho explicou que este álbum de duetos, que espelha "muitos anos de cantigas", o fará chegar a pessoas mais novas.

Na semana em que celebra 70 anos, Paulo de Carvalho lança "Duetos", produzido pelo filho, juntando parcerias inéditas e outras repetidas com mais de 40 artistas e instrumentistas.

A ideia do disco, que assinala os 55 anos de carreira do músico, foi de Agir, que assumiu os comandos de tudo, da escolha dos temas, dos artistas e arranjos. "Pareceu-me imediatamente que fazia sentido", disse Paulo de Carvalho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.