Dulce Félix, oitava, Salomé Rocha, 10.ª, e Susana Francisco, 25.ª, não falharam – bastava uma desistência para a equipa não pontuar – e totalizaram 43 pontos, fechando um pódio em que também ficaram a Grã-Bretanha, primeira com 26, e a Irlanda, segunda, com 41.

Inicialmente, Portugal tinha selecionadas ou pré-selecionadas seis atletas, mas desse grupo de elite só Dulce Félix e Salomé Rocha aceitaram o convite. As outras, por planificação da época ou lesão, acabaram por ficar de fora, o que abriu lugar a Susana Francisco, a melhor na prova de observação, há duas semanas.

Aos 37 anos, e já com quatro medalhas individuais no palmarés, Dulce Félix ainda mostra garra para ser oitava, em 28.09 minutos, enquanto que Salomé Rocha, dois lugares atrás, gastou 28.13.

Susana Francisco, com 29.08 minutos, foi 25.ª e cumpriu na perfeição a missão de fechar a equipa, com 43 pontos, menos 10 que a Turquia, da campeã individual Yasemin Can.

Sem oposição de relevo na corrida, Can conseguiu um inédito quarto triunfo consecutivo em femininos, em 26.52 minutos, 15 segundos à frente de Karolin Bjerkeli Grovdal.

A norueguesa de 29 anos também tem fortes razões para sorrir, já que chega à prata após quatro medalhas de bronze.

No terceiro lugar, com 27.43 minutos, entrou a sueca Samrawit Mengsteab.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.