Olhemos primeiro então para a partida da passada quarta-feira, que opôs Blues e Reds na Carabao Cup (Taça da Liga inglesa). Num jogo com oito alterações para cada lado e com os bancos recheados de estrelas, o Chelsea acabou mesmo por levar a melhor sobre o Liverpool (vitória por 2-1).

Os Reds, a fazer lembrar a versão 2017/18, muito ofensivos mas com muitas lacunas defensivas, proporcionaram um jogo cheio de emoção. Com menor poder ofensivo, dada a ausência do onze inicial de Firmino e Salah, a equipa adversária deixa de recear tanto o Liverpool e isso traduz-se em problemas para a equipa de Jürgen Klopp. No meio campo, sem Georginio Wijnaldum a equipa perde um pouco de compostura e com o quarteto defensivo sem um único habitual titular, os comandados do técnico alemão deixam de ser a mesma equipa. Assim sendo, o Chelsea conseguiu entrar nos espaços centrais junto à área com muita facilidade, explorando as costas do meio campo a seu belo prazer, colocando a linha defensiva em apuros com grande regularidade.

Caso não tenha tido a oportunidade de ver o encontro, o equilíbrio foi nota dominante. Ainda que o Liverpool tivesse criado mais oportunidades flagrantes, o Chelsea foi mais eficaz. Tendo sido um jogo extremamente agradável, não terá tido qualquer semelhança com o jogo a contar para a Premier League, já amanhã, sábado, dia 29 de setembro.

Para que lado pende a balança?

Na última jornada, frente ao West Ham, o Chelsea de Maurizio Sarri terminou a sua série de vitórias, empatando a zero com o rival londrino West Ham United. Apesar do resultado mesmo positivo, não se poderá dizer que os Blues deixaram a descoberto qualquer fragilidade: em qualquer outro dia a superioridade do Chelsea ter-se-ia traduzido em golo(s) e consequentemente na vitória dos azuis. Isto para dizer que o clássico do próximo sábado - que conta com um total de 77 vitórias para o Liverpool, 63 para o Chelsea e 40 empates - poderia ter duas equipas com o mesmo número de pontos na frente do campeonato. Neste caso, estando o Chelsea atrás, poderá ser, a meu ver, das poucas vantagens que o Chelsea terá. Poder-se-á argumentar que quem vai atrás terá mais pressão, mas eu sou da opinião contrária e acho que esse pormenor beneficia os Blues.

créditos: AFP

Se estar atrás na classificação poderá ser uma vantagem, Maurizio Sarri fez questão de dizer no início da semana que, e passo a citar, "talvez dentro de um ano, cheguemos ao nível do Liverpool". Em tempo de ‘guerra’ psicológica, quando se elogia o adversário, é normalmente porque não só se reconhece nele grandes qualidades, como não se quer 'enfurecê-lo'. Parece-me a mim que Sarri pensará que se ‘passar a mão no pêlo’ do Liverpool este não terá mais motivos para jogar a todo o gás, e se há coisa que o italiano não quererá é 'irritar' o trio da frente dos Reds.

As razões pelas quais o Liverpool levará vantagem

A vitória do Chelsea em Liverpool, por duas bolas a uma, a contar para a Carabao Cup parece ter vindo mexer, não com as táticas e estratégias, uma vez que com oito habituais suplentes em cada uma das equipas o jogo não refletiu em nada o que se passará no encontro da Premier League, mas com a pressão de que falei acima. O Liverpool ter perdido, pela primeira vez esta temporada parece poder dar aos Reds a pequena vantagem que não possuía anteriormente. O simples facto de ter jogado muito bem, mas de ter perdido com um golo fora do normal - dos melhores golos da época, para quem não teve a oportunidade de ver - da autoria de Eden Hazard, veio dar à equipa de Jürgen Klopp a ligeira ‘irritação’ que permitirá aos jogadores esquecerem que vão na frente na Premier League e pensarem apenas no facto de que foram sujeitos à primeira derrota da época, ainda por cima frente aos seus adeptos, e que têm que reagir.

Além da perda de pressão, visto já ter 'saboreado' a sensação de derrota, o estilo do Liverpool está muito bem definido, enquanto que no Chelsea, apesar das boas exibições, ainda parece ser preciso tempo para que as ideias de Sarri sejam incorporadas na totalidade.

A estratégia montada pelos Blues, principalmente no que toca à colocação de N’Golo Kanté, poderá trazer problemas à equipa. Com um novo papel no Chelsea de Sarri, Kanté, de forma a permitir a Jorginho maior influência na manobra da equipa em ataque organizado, liberta-se da posição que normalmente ocupa, a de médio de contenção, para explorar o último terço quando a sua equipa tem a bola. Esta sua ação em terrenos mais avançados poderá não se fazer notar, de forma negativa, contra equipas de menor dimensão, com menos capacidade de contra-atacar, mas caso Sarri insista nesta estratégia, o Liverpool irá castigar a ausência de Kanté em zonas médias, explorando o seu mortífero contra-ataque.

E apesar de ‘meio mundo’, incluindo Paul Merson e Michael Owen, ser da opinião de que Eden Hazard, após excelente começo de temporada, é o fator que mais desequilibra a balança para o jogo do próximo sábado, eu não partilho dessa tese.

créditos: PAUL ELLIS / AFP

Se por um lado o belga pode resolver jogos, por outro já colocou o Liverpool em sentido: darão os Reds liberdade a Hazard para que este resolva novamente o jogo? Terão, ao invés, maior atenção ao médio criativo? Parece-me que Hazard colocou o Chelsea na próxima ronda da Carabao Cup mas poderá, com o fantástico golo marcado, ter reduzido as chances de surpreender o Liverpool no jogo da Premier League e, consequentemente, de levar de vencida o primeiro classificado do campeonato.

Por fim, costuma-se dizer que as grandes equipas não perdem duas vezes seguidas. Não só o Liverpool é uma grande equipa, como os níveis de confiança parecem estar muito elevados, pelo que tenho muitas dúvidas que a derrota para a Taça da Liga tenha tido alguma influência nesse particular aspeto psicológico.

Esta semana na Premier League

A polémica entre Mourinho e Pogba, que chegou ao treino, no dia seguinte à eliminação da Carabao Cup com um sorriso na cara, tem feito as manchetes em Inglaterra. Como se irá apresentar o United após mais uma polémica? A deslocação ao estádio do West Ham, super motivado após uma vitória e um empate nas duas últimas jornadas do campeonato (para além da vitória por 8-0! frente ao Macclesfield Town a meio da semana para a Carabao Cup), não será fácil e é mais um obstáculo nesta temporada já tão recheada de percalços para Mourinho e os Red Devils. O West Ham vs. Manchester United abrirá a jornada no sábado, dia 29, pelas 12h30.

Também no mesmo dia, realizar-se-á o jogo de que falámos hoje. Liverpool e Chelsea defrontam-se numa partida com início marcado para as 17h30, naquele que promete ser o jogo da jornada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.