“Esta nova diretiva constitui a última fase de um regresso cuidadoso aos treinos dos atletas de alta competição, destinado a limitar os riscos de lesões e a proteger a saúde de todas as pessoas envolvidas”, disse o ministro dos desportos, Nigel Huddleston.

De acordo com o responsável, o governo britânico ainda trabalha para “reiniciar o desporto profissional à porta fechada” e para que seja possível fazê-lo com “toda a segurança”.

Os clubes tinham iniciado os treinos no início da última semana em pequenos grupos, e, na sexta-feira, o presidente da Premier League, Richard Masters, disse estar “confiante” num regresso da Liga em junho, apesar da ameaça do novo coronavírus.

A Liga inglesa conta com os treinadores portugueses José Mourinho (Tottenham) e Nuno Espírito Santo (Wolverhampton), e com os futebolistas Bernardo Silva e João Cancelo (Manchester City), Bruno Fernandes e Diogo Dalot (Manchester United), Ricardo Pereira (Leicester), Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho, Diogo Jota, Rúben Vinagre, Bruno Jordão, Daniel Podence, Pedro Neto (Wolverhampton), Gedson Fernandes (Tottenham), Cédric Soares (Arsenal), André Gomes (Everton) ou Domingos Quina (Watford).

O dirigente não avançou com uma data específica para o regresso, mas o projeto ‘Recomeço’ admite que este aconteça a partir de 12 de junho, e a data de 19 de junho já foi mencionada.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho, depois de a Liga alemã ter sido retomada em 16 de maio.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 343 mil mortos e infetou mais de 5,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de dois milhões de doentes foram considerados curados.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.