Em comunicado difundido durante esta madrugada, em resposta aos emitidos anteriormente pela própria Hermoso, que negou que o beijo tenha sido consentido, e à intenção das jogadoras de renunciarem enquanto não houver alterações na federação, a RFEF diz “respeitar como tem respeitado em todos os momentos as decisões das jogadoras em quererem ou não participar na seleção em jogos internacionais, embora a participação na seleção seja uma obrigação de todas as pessoas federadas, caso sejam convocadas”.

Esta federação acrescenta que vai acionar todos os meios para defender “a honorabilidade do presidente da RFEF, que expôs de forma clara como se produziram os factos que têm sido motivo de conflitualidade e escárnio por parte de amplos setores da sociedade contra o presidente”.

Luis Rubiales afirmou durante a assembleia federativa realizada na sexta-feira que o beijo na boca que deu a Hermoso durante a celebração da conquista do Mundial feminino foi “espontâneo, mútuo, eufórico e consentido”, e que foi a jogadora que o levantou do chão.

Hermoso respondeu posteriormente através do sindicato FutPro, afirmando que “em nenhum momento” consentiu o beijo: “Em nenhum caso tentei levantar o presidente. Não tolero que se ponha em dúvida a minha palavra e, muito menos, que se inventem palavras que não disse”.

Nesta nova nota, a RFEF junta quatro imagens com Rubiales subido no braços da jogadora, que, de acordo com o organismo, “são provas concludentes de que o presidente não mentiu”.

“A RFEF e o senhor presidente vão demonstrar cada uma das mentiras que se difundam, seja por alguém em nome da jogadora, ou, se for o caso, pela própria jogadora”, refere a nota.

Ainda em consequência da assembleia geral de sexta-feira, o presidente das Associação de Jogadores de Futsal (AJFS), José Miguel Ruiz Cortés, apresentou a demissão como membro da junta diretiva da RFEF, juntando-se a várias outras que têm ocorrido no seio da RFEF.

“Devido ao que ocorreu na Assembleia Geral Extraordinária e em consenso com a junta diretiva da associação, apresentei a demissão, ao estar em desacordo e condenar contundentemente o que se passou”, pode ler-se no comunicado difundido.

A polémica surgiu no domingo, durante as comemorações do inédito título mundial por parte da seleção feminina espanhola, quando, na altura da entrega dos prémios, Rubiales beijou na boca Hermoso.

Seguiram-se inúmeras críticas ao sucedido, tendo Hermoso, depois de numa primeira versão ter dito que tudo ocorreu num momento de maior euforia, afirmado que não tinha consentido o beijo.

Depois de vários dias com muitas críticas por diversos setores da sociedade, a RFEF levou a cabo uma Assembleia Geral Extraordinária, na qual era esperado o pedido de demissão de Rubiales, o que não veio a suceder, dando origem a um novo pico de contestação e extremado as posições, com as jogadoras a anunciarem não estarem disponíveis para representar a seleção enquanto os atuais dirigentes da RFEF se mantiverem nos cargos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.