A cerimónia de abertura da competição, que decorre entre 04 e 20 de fevereiro, na China, está marcada para sexta-feira, às 12:00 na hora de Lisboa, mais oito horas em Pequim.

Tanto o covilhanense Ricardo Brancal, de 25 anos, como Vanina Oliveira, de 19 anos, residente em França, são estreantes nos Jogos Olímpicos de Inverno e vão disputar as provas de slalom e slalom gigante.

“Significa transportar entre as mãos toda a história do povo conquistador português”, reagiu Ricardo Brancal, sobre a escolha para ser o representante masculino a transportar a bandeira nacional.

Para Vanina Guerillot Oliveira, ser porta-estandarte da equipa nacional é “um orgulho” e uma forma de honrar as suas “raízes e toda a comunidade portuguesa que vive fora do país”, disse a esquiadora, citada pelo COP.

A atleta portuguesa, com origens em Atães, Guimarães, é a segunda mulher a ser porta-estandarte nos Jogos Olímpicos de Inverno na cerimónia de abertura, depois de Mafalda Queiroz Pereira, em Nagano1998.

A cerimónia de abertura de Pequim2022 será a primeira nos Jogos Olímpicos de Inverno a contar com dois porta-estandartes, um homem e uma mulher, para assinalar uma competição organizada “sob o signo da igualdade de género”, como já tinha acontecido nos Jogos Olímpicos de Verão Tóquio2020.

Segundo declarações do chefe de missão, Pedro Farromba, à agência Lusa, a comitiva não participa na cerimónia de encerramento, devido às restrições impostas pela covid-19, que levaram à decisão de cada atleta regressar logo após as respetivas provas.

Portugal participa nos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022 com Ricardo Brancal e Vanina de Oliveira, no esqui alpino, e José Cabeça, no esqui de fundo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.