Segundo o antigo defesa central, que foi uma peça importante no Manchester United de Alex Ferguson durante a primeira década do século XXI, a fase inicial da carreira está “um pouco borratada” no que toca à memória, uma vez que avançava para a vodka depois das cervejas.

“Podia passar o tempo todo a beber, depois acordar e voltar a fazê-lo, quando era jovem. No West Ham, alguns momentos estão enublados. As pessoas falam-me sobre este jogo ou aquele e eu digo que sim ou não com a cabeça, porque não me lembro”, destacou.

O antigo internacional inglês, agora com 40 anos, já tinha falado da luta contra a depressão após a perda da mulher, que morreu em 2015 vítima de cancro, e esta é a primeira vez em que fala abertamente sobre o álcool.

Ferdinand aponta à “cultura diferente na época” no que toca à vida de futebolista. “Futebol, álcool e discotecas, assim se vivia naquele tempo”, acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.