“Confirmo-te que Roland Garros vai realizar-se”, disse Bernard Giudicelli num ‘live’ com o tenista francês Gaël Monfils.

A grande novidade apresentada pelo presidente da FFT foi a intenção de que o único ‘Grand Slam’ de terra batida, que estava agendado para o período de 25 de maio a 7 de junho, mas que deverá disputar-se entre 20 de setembro e 4 de outubro, tenha público nas bancadas.

“A opção que privilegio é a de um Roland Garros com um máximo de público. Em função das condições sanitárias, ajustar-nos-emos às diretivas que nos serão transmitidas pelo governo. É o governo que decide”, referiu, confessando que a organização do ‘major’ francês “não tem muito apreço” pela opção de o torneio se realizar à porta fechada.

“Roland Garros, como todos os grandes torneios, é um encontro entre os jogadores e o público. É essa a magia do torneio”, sustentou.

Todavia, Bernard Giudicelli acredita que as obras recentes no complexo de Porte d'Auteuil, nomeadamente a sua ampliação, e as medidas preconizadas pela organização podem viabilizar “claramente” uma edição “com capacidade reduzida”, que seja, ao mesmo tempo, segura para jogadores e público.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.