Após um início de jogo renhido, com muita disputa a meio-campo, a partir do primeiro quarto de hora do jogo o Angers conseguiu chegar por diversas ocasiões à baliza do Sporting, primeiro por intermédio de Boufal e de Cho, e depois por Alioui, que viu Maximiano negar-lhe o golo após a cobrança de um livre.

Só aos 36 minutos os lisboetas conseguiram criar perigo, mas o cabeceamento de Paulinho, após cruzamento de Ricardo Esgaio, saiu à figura do guarda-redes francês, naquele que foi o único remate do Sporting na primeira parte.

Ainda antes do descanso, Alioui voltou a tentar desfazer o nulo no marcador, mas, mais uma vez, Maximiano mostrou segurança entre os postes.

Ao intervalo, Rúben Amorim mexeu na equipa e tirou Maximiano, que saiu com nota alta, e Daniel Bragança, entrando Adán e Nuno Santos para o ataque ao segundo tempo.

Rúben Vinagre, recente reforço ‘leonino’, também foi a jogo aos 56 minutos para o lugar de Nuno Mendes.

E as alterações inverteram o rumo dos acontecimentos, com o Sporting a começar a ganhar ascendente na partida, e com Paulinho a ter uma boa oportunidade aos 62, mas o remate foi cortado pela defesa adversária.

Logo no minuto seguinte, surgiu o primeiro golo da partida, através de Gonçalo Inácio, que aproveitou uma verdadeira ‘embrulhada’ na pequena área do Angers após a marcação de um pontapé de canto para faturar.

Rúben Amorim aproveitou o balanço para promover mais mexidas, lançando Matheus Nunes e Jovane para os lugares de Palhinha e Pedro Gonçalves.

Os franceses tentaram reagir à desvantagem e tiveram três oportunidades de golo seguidas, primeiro por Bahoken, que chutou forte mas ao lado, aos 70, e, depois, por Taibi, aos 79 e 82, com ambas as tentativas travadas pelo experiente Adán.

E aos 86 os ‘leões’ deram o golpe final no marcador, com Paulinho a surgir oportuno para finalizar na recarga, após Nuno Santos ter acertado no poste.

Cinco dias depois de ter batido o Belenenses SAD, também em Faro, por 2-1, o Sporting foi mais eficaz que o Angers e voltou a ganhar, desta feita por duas bolas sem resposta, num jogo em que ‘matou’ duas das três chances flagrantes de golo de que dispôs.

(Notícia atualizada às 23:33)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.