Arranca hoje, no estádio do Algarve, a final four da Taça CTT. Braga-Setúbal (20h45) inauguram a fase final de uma competição que vai na 10ª edição e que estreia um novo modelo. A segunda meia final da Taça organizada pela Liga de futebol, e que desde o ano passado é patrocinada pelos correios portugueses, disputa-se amanhã e colocará Benfica, vencedor de sete troféus, diante eo Moreirense, estreante nestas andanças e a única das quatro equipas que ainda não conquistou o título (Setúbal e Braga somam uma taça cada um). A final terá lugar no domingo, dia 29.

Secundarizada, ora por equipas, ora por adeptos, como atestam os números de assistências dos estádios até à data (em dois jogos, Benfica, 51,417 espetadores, Braga, 10431, e em 3 jogos, o Setúbal teve 6376 adeptos e o Moreirense, 3466), ora envolta em polémica de arbitragens ao longo dos anos, esta edição não fugiu à regra e fica marcada, mais uma vez, pelas queixas sobre os juízes da partida por parte de Porto e Sporting. Os leões, por exemplo, depois de terem caído aos pés do Setúbal recordaram, mais uma vez, o nome do árbitro Lucílio Baptista, relembrando um dos nomes de batismos dado anteriormente a esta a prova que ganhou o nome do ex-internacional (numa clara alusão à muito falada arbitragem realizada na final de 2009 frente ao Benfica, na 2ª edição da competição).

Para dar uma nova dinâmica, Pedro Proença, atual presidente da Liga de clubes, e curiosamente o árbitro que apitou a primeira final, em 2008, (com a taça a ser entregue ao Vitória do Setúbal, que derrotou o Sporting), garante que o próximo passo na promoção da Taça CTT será o de garantir ao vencedor o apuramento direto para as competições europeias. “Será discutido na próxima assembleia geral de clubes”, revelou na conferência de imprensa de apresentação deste novo modelo.

“Interessante” foi a palavra escolhida por José Couceiro, técnico do Setúbal, pronunciando-se sobre o modelo instituído. Uma competição cujo vencedor, também segundo Couceiro, deveria garantir a qualificação para as competições europeias. “Seria um incentivo para valorizar esta competição. Seria importante valorizar uma terceira competição. Não sou defensor de um modelo que não provoque o equilíbrio. Acho que o sucesso do futebol é o equilíbrio” sustentou.

Jorge Simão, treinador do SC Braga, reiterou este desejo expresso pelo técnico setubalense. “O último passo para a credibilização da Taça CTT seria que o vencedor do troféu tivesse acesso às competições europeias”, sublinhou na antevisão da prova.

Novidades tecnológicas num conceito novo

Depois de “erros no passado recente” que tornaram a competição “moribunda”, Pedro Proença, no lançamento dos 4 jogos que vão apurar o campeão de inverno, deixou claro que este novo modelo e formato concebido “para as famílias”, com bilhetes de preços baixos, “veio para ficar”.

Uma das novidades para os três jogos que se avizinham, em termos tecnológicos, será a concretização da segunda fase do projeto e-Liga, em parceria com a empresa Samsung, com um relógio inovador que permite à equipa de arbitragem transmitir com maior rapidez as informações oficiais relativas às partidas.

“É um projeto revolucionário e único a nível mundial. Será reproduzido nas grandes ligas europeias, que já manifestaram interesse em conhecer o projeto", afirmou Pedro Proença.

O setubalense Carlos Xistra apitará o Setúbal-Braga, enquanto o árbitro lisboeta Tiago Martins dirigirá o Moreirense-Benfica. Ambos os árbitros são internacionais, com Tiago Martins, de 36 anos, a ter as insígnias desde 2015, enquanto Xistra, de 43, chegou a internacional em 2005.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.