Segundo o organismo, a jogadopra transalpina acusou em fevereiro a substância anatrozol, habitualmente usada como terapêutica para o cancro da mama.

A ITF aceitou parcialmente a justificação de Errani, que alegou contaminação de alimentos, por a sua mãe tomar um medicamento contra o cancro da mama desde 2012.

Mesmo assim, a ITF castigou Errani, que começou a cumprir a suspensão em 03 de fevereiro, com o castigo mais ligeiro, e retirou à italiana os pontos e os prémios monetários conquistados pela italiana entre 16 de fevereiro e 17 de junho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.