“Os primeiros 30 minutos dão-nos segurança sobre a equipa dominadora, intensa e agressiva que queremos ser. Sentimo-nos felizes, mas esse jogo ficou para trás e temos agora um duelo altamente difícil. Queremos prolongar este estado e dar-lhe consistência para que possa ser mais forte”, apontou o técnico, em conferência de imprensa.

Na Choupana, os minhotos estrearam-se a vencer no campeonato sobre alçada do sucessor de César Peixoto, após o empate com o Vitória de Guimarães (2-2), sendo que um novo triunfo ofereceria “margem de conforto para serem ainda mais competitivos”.

“O conforto é sempre muito relativo. Sentimos que ganhar duas vezes nesta I Liga dá-nos uma subida muito grande na tabela, mas se estivermos dois ou três jogos sem vencer começamos a ficar mais perto dos lugares de baixo. Temos uma responsabilidade muito grande de jogar para vencer e um grupo muito focado e com vontade”, enquadrou.

Volvidos três partidas em oito dias, incluindo a eliminação da Taça de Portugal diante do Santa Clara (2-1), Vasco Seabra procura capitalizar uma “semana limpa” de jogos, caracterizada pela “maximização de qualidades” e pela “correção de certas situações”.

“Foi importante para que os jogadores pudessem recuperar antes de estarem novamente abertos a novas informações. Abordámos o processo coletivo e procuramos dar o nosso cunho em busca de uma equipa mais compacta e competitiva e de valorizar o jogo do Moreirense, sem deixar de observar aquilo que está para trás e está bem feito”, contou.

O treinador reconhece a “qualidade individual” do Portimonense, cuja ascensão na tabela “começa a traduzir um pouco mais o real valor da equipa”, e apela aos minhotos que “estejam no seu melhor” para superar um “adversário muito difícil” rumo aos 20 pontos.

“É um lugar comum dizermos que trabalhar sobre vitórias é muito melhor, mas essa é a realidade. Precisamos de manter as nossas referências e os predicados que têm sido valores inegociáveis para nós, como o espírito coletivo, a alma, a dedicação e a entrega. Pretendemos um Moreirense nesta continuidade, se possível com a vitória”, afiançou.

Abdu Conté, Pedro Amador, Sori Mané, André Luís, Derik Lacerda e Pedro Nuno ficam ausentes por lesão, enquanto Lazar Rosic regressa de castigo e Fábio Pacheco enfrenta um jogo de suspensão por ter sido admoestado com o quinto amarelo na Choupana.

“O plantel é competitivo, consistente e unido, trabalha muito bem e tem alma e uma responsabilidade coletiva muito grande. Estou satisfeito com eles. Se entrar alguém, será sempre para acrescentar. Caso contrário, vamos com eles com toda a convicção e força, porque sentimos que temos homens para as nossas pretensões”, concluiu.

O Moreirense, sétimo colocado, com 17 pontos, recebe o Portimonense, na 12.ª posição, com 14, no domingo, às 17:30, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, num encontro da 15.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Gustavo Correia, da associação do Porto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.