Lito Vidigal confirmou que o atacante Mateus não é opção para a receção de sexta-feira ao campeão nacional, porque “não treinou e não está em condições” físicas, e disse que o médio ganês Ackah, que também não poderá jogar, devido a suspensão, tem sido vítima de julgamentos errados devido ao seu modo de jogar fogoso.

O técnico disse que Ackah viu cartões amarelos “extremamente injustos”, ressalvando, porém, que não foi o caso do que o que lhe foi mostrado na jornada anterior, com o Santa Clara.

O ala Heriberto também está fora deste jogo, por ter sido emprestado pelo Benfica, e o médio espanhol Bueno deixou de ser aposta porque, explicou o técnico, é preciso “fazer escolhas em função do trabalho” que os jogadores vão desenvolvendo.

Questionado sobre se o Boavista tem margem para sonhar com pontos diante do Benfica por estar a fazer um campeonato positivo, o melhor desde que voltou à primeira divisão, Lito Vidigal disse saber que vai “jogar contra uma equipa forte e que a probabilidade de êxito é menor” por essa razão.

“Ainda assim, ela existe e é nesse sentido que temos de trabalhar, pensando primeiro em nós. Sabemos que é mais difícil, mas acreditamos que podemos vencer sempre”, reforçou.

Questionado sobre se a ‘Europa’ já é um sonho, o técnico ‘axadrezado’ contrapôs que o Boavista, atual quinto classificado, está a reerguer-se e, acima de tudo, “o que tem de fazer primeiro é assegurar a manutenção e depois, a partir daí, ver o que pode fazer”.

“Até conseguirmos 33 pontos não vale a pena pensar em mais nada que não seja sermos sérios e responsáveis no dia-a-dia, sermos competitivos nos treinos para sermos competitivos nos jogos e, assim, acreditarmos que é possível vencer”, advertiu.

O técnico sustentou, ainda, que “o Benfica é uma equipa forte e recheada de bons jogadores, que esta época só tem uma derrota [no campeonato], em casa, contra o outro candidato ao título”, o que, nas suas palavras, “diz tudo”.

“Temos de ser competitivos, mentalmente fortes, solidários e acreditar no nosso processo” para poder ganhar. ” É isso que queremos, em todos os jogos competir com a intenção de vencer. Se os jogadores derem tudo eu já me sinto feliz”, afirmou Lito Vidigal.

O técnico formulou ainda o desejo “que toda gente dê o máximo, a equipa de arbitragem seja justa”, que o vencedor tenha “mérito”, num jogo sem “casos”.

O Boavista, quinto classificado, com 18 pontos, e o Benfica, líder isolado, com 33, defrontam-se na sexta-feira, no encontro inaugural da 13.ª jornada da I Liga de futebol, marcado para as 20:30, no Estádio do Bessa, no Porto.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.