Para Rodolpho Tobler, coordenador da Sondagem do Comércio da FGV, a alta da confiança do retalho sugere que o setor está otimista com relação à sustentação da fase de recuperação das vendas ao longo do primeiro semestre de 2018.

“Entre os fatores que vêm impulsionando o otimismo do setor estão a inflação baixa, o ciclo da redução da taxa de juros, as perspetivas de recuperação do mercado de trabalho e a evolução recente da confiança dos consumidores”, disse o especialista.

A pesquisa que mede a confiança do retalho da FGV mostrou que houve um avanço de 2,4 pontos do índice em dezembro, atingindo 94,8 pontos. No período, houve crescimento em 8 dos 13 segmentos pesquisados.

Ao longo dos 12 meses deste ano a confiança do setor cresceu 15,9 pontos, passando de 78,9 pontos, em janeiro para 94,8 pontos em dezembro.

O resultado positivo foi influenciado pelas melhores avaliações sobre a situação atual, mas também pela confiança reforçada pelas expectativas de alta nas vendas em relação aos próximos meses.

A edição de dezembro da pesquisa sobre o retalho brasileiro da FGV recolheu informações de 1.179 empresas entre os dias 1 e 22 deste de dezembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.