Em audição parlamentar, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, indicou que o contrato surge no âmbito do quarto pacote ferroviário e “será estabelecido até ao final deste ano”.

O contrato vai determinar que “regressem as compensações indemnizatórias, que deixaram de ser pagas em 2015”, com os valores a serem também definidos nesse documento, acrescentou o governante aos deputados.

O ministro recordou que foram pagos 1.600 milhões de euros à CP desde 2016 em dotações de capital que “permitiram ajudar a sanear financeiramente a empresa”.

Sobre a Fertagus, que garante o serviço ferroviário entre as margens Norte e Sul do rio Tejo, Pedro Marques lembrou estar a decorrer o processo de renegociação da concessão, num contexto de aumento da taxa de utilização de infraestrutura e de não atualização de tarifas.

Também por avançarem novas medidas de mobilidade, como o reforço do serviço a Setúbal e apoios em relação aos passes sociais, o ministro considerou que “qualquer coisa que se diga mais no meio de uma negociação não é oportuno”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.