Os dados, recolhidos entre 01 de abril e 28 de junho, comparam com a previsão de 3,8% obtida pelo inquérito de outubro de 2016.

Segundo o INE, os resultados deste inquérito apontam ainda para que se tenha registado um crescimento de 7,4% do investimento em 2016.

Entre os objetivos do investimento, perspetiva-se um aumento do peso relativo do investimento "orientado para a racionalização e restruturação e para outras finalidades, com a consequente diminuição da importância relativa do investimento de substituição e do investimento associado à extensão da capacidade de produção, continuando este, no entanto, a ser o objetivo mais referido".

O principal fator limitativo do investimento empresarial identificado pelas empresas nos dois anos analisados, segundo o INE, foi a deterioração das perspetivas de venda, seguindo-se, em 2016, a incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos e, em 2017, a insuficiência da capacidade de autofinanciamento.

Entre 2016 e 2017 prevê-se um aumento do peso relativo da insuficiência da capacidade de autofinanciamento e uma redução do peso relativo da incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos.

O próximo inquérito do INE será divulgado em janeiro de 2018.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.