A partir de julho de 2018 o consumo de marijuana para fins recreativos passa a ler legal no Canadá, onde até hoje o consumo desta droga é apenas permitido para fins medicinais.

A cerca de meio ano da legalização, a Statistics Canada, a agência estatal de estatísticas canadiana, decidiu traçar um retrato dos níveis do consumo de marijuana no país e os resultados surpreenderam: os gastos com canábis em 2015 foram quase semelhantes aos gastos com vinho no país.

Os canadianos despenderam 6,2 mil milhões de dólares canadianos (cerca de 4,07 mil milhões de euros) em marijuana em 2015. A agência estima que 4,9 milhões de pessoas consumiram cerca 698 toneladas métricas de canábis nesse ano, a um preço médio, assumido, que ronda os 7,14 e os 8,84 dólares canadianos por grama (entre os 4,69 e 5,81 euros), relata a Bloomberg.

A Statistics Canada intitulou o relatório de “Estimativa experimental de Canábis no Canadá, de 1960 a 2015”, e admitiu que não existe, ainda, um sistema para medir de forma rigorosa o consumo. A agência avisa que sem dados oficiais a estimativa que o relatório oferece é muito irregular, podendo o valor real de consumo facilmente oscilar entre metade ou o dobro do apresentado.

No entanto, o consumo anual parece estar entre metade a dois terços da dimensão do mercado de cerveja de 9,2 mil milhões de dólares canadianos (cerca de 6 mil milhões de euros), ou quase tanto como o mercado de vinhos de 7 mil milhões de dólares canadianos (cerca de 4,6 mil milhões de euros), informou a agência.

O primeiro-ministro Justin Trudeau comprometeu-se com uma legalização total do uso recreativo da marijuana, a partir de julho do próximo ano, num movimento que impulsionou um aumento nos preços. O Governo disse ainda que o seu objetivo é manter os impostos sobre o produto baixos, de forma a desincentivar o tráfico de droga. Este novo mercado pode gerar receitas no valor de 400 milhões de dólares canadianos (cerca de 263 milhões de euros).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.