De acordo com o gabinete estatístico europeu, 46% dos trabalhadores na UE são mulheres, mas só 34% ocupam cargos de gestão.

Em relação aos Estados-membros, a maior percentagem de mulheres em cargos de gestão no terceiro trimestre de 2020 foi registada na Letónia (45%) e Polónia (44%), seguidas pela Bulgária, Hungria, Eslovénia e Suécia (42% cada).

No extremo oposto da escala, as mulheres representam apenas cerca de um quarto dos gestores na Croácia (24%), Holanda (26%) e Chipre (27%).

Por outro lado – e também entre julho e setembro de 2020 - a taxa de emprego da UE (para pessoas entre 20 e 64 anos) foi de 66,6% para as mulheres e 78,3% para os homens, o que corresponde a uma diferença de 11,7 pontos percentuais (pp) a favor destes.

Esta diferença de emprego entre os sexos a favor dos homens foi observada em todos os níveis de ensino, mas quanto mais baixo o nível de educação maior é o fosso entre as taxas de emprego de homens e mulheres.

Na UE, 86,9% dos homens e 80,5% das mulheres com um elevado nível de escolaridade estavam empregados no terceiro trimestre de 2020.

Em contraste, a taxa de emprego dos homens com um baixo nível de instrução foi de 65,9%, enquanto para as mulheres se ficou nos 43,4%.

Correspondentemente, a diferença de emprego entre homens e mulheres com baixo nível de instrução era de 22,5 pp, mais do triplo da diferença de emprego entre homens e mulheres com elevado nível de instrução (6,4 pp).

O Dia Internacional da Mulher comemora-se em 08 de março.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.