Com esta aquisição, a Rubis passa a assumir os ativos de distribuição de GPL (Gás de Petróleo Liquefeito) da Repsol nas ilhas da Madeira e dos Açores, bem como as redes em Portugal continental.

A empresa, que não revelou o valor da transação, refere que esta operação permite à Rubis incluir uma operação de distribuição de gás canalizado e alcançar massa crítica nas suas atividades nos Açores e na Madeira.

"Esta transação representa um volume anual adicional de 15.000 toneladas, ou seja, 12% dos volumes atuais já comercializados localmente pelo grupo e que gera um EBITDA [resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações] anual de seis milhões de euros", refere a Rubis.

Para a distribuição de gás canalizado no continente, a transação tem um "impacto positivo no lucro da Rubis", refere, salientando que no que respeita à operação na Madeira e nos Açores, esta está sujeita à aprovação da Autoridade da Concorrência.

"Esta nova aquisição ilustra a estratégia de desenvolvimento da Rubis em nichos de mercado para complementar as suas atividades existentes", conclui a empresa, no comunicado.

A Lusa questionou a Repsol sobre esta operação, mas até ao momento não obteve resposta.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.