Em primeiro lugar, o primeiro procedimento seria entender quem seriam os pais das crianças. Se fizessem parte da elite privilegiada, em duas horitas estavam fora da gruta. Se fossem pobres, fazia-se o resgate com calminha, em três ou quatro semanas. Depois, os meios de comunicação ficariam extremamente surpreendidos pela notícia ter eco na imprensa internacional. Já se sabe como é, nunca estamos à espera que digam “Portugal” no estrangeiro. Ah, e antes do caso chegar à comunicação social, o Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, já teria chegado lá antes da Proteção Civil e, surpreendentemente, antes da CMTV, para ainda conseguir dar um abraço a todos antes do nível da água subir e sair nas calmas porque é um excelente nadador.

Por falar em CMTV, era mais do que óbvio que a CMTV montaria uma tremenda operação televisiva, com drones, GoPros nos mergulhadores e diversas entrevistas a outras cavidades rochosas do país. Para além disso, não seria estranho se incluísse na sua programação erótica um filme intitulado “Estou Preso Na Tua Gruta E Não Consigo Sair Ainda Que Conte Com o Auxílio da Comunidade Internacional”. Outras televisões organizariam acesos debates entre adeptos da equipa encurralada e seus adversários, para dar molho. Aliás, os próprios pais das crianças, como é hábito dentro dos progenitores que pressionam os filhos a ser bons a desportos, eram capazes de estar à porta da gruta a gritar “Bora, filho! Não envergonhes o pai! Então, eu não te ensinei mariposa? Vá, enche-me de orgulho. Mister, ele só está a chorar porque você não o põe a jogar!”.

Fernando Medina descobriria que a gruta era propriedade da Câmara Municipal de Lisboa e, ato contínuo, cederia o espaço a Madonna para estacionar mais sete bólides, ainda no decorrer da operação de resgate. Já Rui Moreira insurgir-se-ia contra o centralismo de Lisboa, alegando que no Porto também existem inúmeras cavernas perigosas que poderiam muito bem encarcerar crianças. Quanto ao PAN, emitiria um comunicado a censurar todo o alarido na gruta, que obviamente estaria a importunar a população de morcegos no seu próprio habitat natural.

E se Elon Musk construiu um mini-submarino no sentido de facilitar o resgate das crianças na Tailândia, que empreendedores em Portugal contribuiriam para tal causa nobre? Muito provavelmente o empresário Rui Nabeiro, da Delta Cafés, que se ofereceria para providenciar uma gigante cápsula de café capaz de transportar um infante em segurança. Todavia, claro que as crianças neste caso estariam em melhor forma física, porque o treinador seria um discípulo de Jorge Jesus e não seria uma pequena complicação destas que o impediria de marcar treinos bi-diários. Estamos na pré-época e é necessário recuperar o tempo perdido.

Recomendações:

Este especial de stand-up.

(Crónica escrita enquanto decorria a fase final do salvamento das 12 crianças e do treinador de futebol de 25 anos que as acompanhava. Todos saíram ilesos da gruta de Chiang Rai, na Tailândia, esta terça-feira, 10 de julho de 2018.)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.