Naturalmente, esta medida chocou e indignou o mundo. Aliás, não só o mundo como também o país, a própria Coimbra, e até milhões de pessoas que nem sequer são estudantes em Coimbra e nunca iriam comer lá nas cantinas de qualquer forma, só para vocês verem o quão grave é isto para indignar assim tanta gente.

O politicamente correcto está definitivamente a destruir o mundo. Não se pode dizer piadas racistas, não se pode ser fascista e agora também nos querem tirar a carninha boa. Mas calma, esta medida também gerou coisas boas tal como esta piada que vi no Twitter: “Carne de vaca eliminada das cantinas de Coimbra. Mas e na Queima? Tudo igual, right?”. Ahahaha! Perceberam? Porque as gajas são vacas. Genial. A este é que o politicamente correcto não entala! Era o que mais faltava agora não se poder fazer piadas com três séculos de atraso face à sociedade actual, se ainda resultam tão bem com este humor depurado.

Voltando à medida em concreto, é uma vergonha. Reitero, uma vergonha. Isto nem com a PIDE era assim. Ainda vamos recordar com saudade o tempo em que os universitários iam às cantinas comer belos nacos na pedra, rodízios de maminha e picanha, bife do lombo com molho 3 pimentas, ou até carne maturada em sal do Deserto do Uyuni. Claro que já há muita gente para aí a palrar que a única carne de vaca que viram nas cantinas era vitela estufada e que, na verdade, nunca dava bem para perceber se era mesmo vaca ou cão, mas isso é falta de irem mais à universidade comer. E irem mais à universidade no geral, para não ficarem assim burros.

Começou nas cantinas da Universidade de Coimbra, mas nós sabemos que é só o início. Num instante vão começar a fechar talhos, restaurantes e qualquer dia até fecham a Queima. Ahahah! Perceberam? Piada que faz um callback à comparação hilariante de mulheres a vacas (caso não tenham percebido à primeira) e que complementa com a proibição, lá está, de se comer vaca. Hi-la-ri-an-te.

Mas, meus amigos, a verdade é que isto é o princípio do fim. Como é que é suposto um ser humano sobreviver sem comer pelo menos 4 refeições de carne por dia? Impossível. Os estudantes vão começar a andar aí todos fraquinhos e num instante é vê-los sem força nem sequer para pegar numa pandeireta. Bom, e vendo as coisas assim, se calhar afinal isto não é só lados maus.

Seja como for, há que travar esta paranoia de querer travar a destruição do planeta. Se não há planeta B de qualquer das formas, mais vale comermos já toda a carne de vaca possível e os que vierem a seguir que apaguem a luz.

Sugestões mais ou menos culturais que, no caso de não valerem a pena, vos permitem vir insultar-me e cobrar-me uma jola:

- The Spy:  Netflix. Com Sasha Baran Cohen.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.