O Certificado Digital Covid da União Europeia (UE) vai ter o seu arranque oficial a 1 de julho e Portugal não ficará de fora, de acordo com o Expresso. 

O semanário escreve que, no entanto, a versão nacional da ferramenta ainda não se encontra numa fase que permita fazer os primeiros testes. O seu desenvolvimento está a cargo dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), sendo que o "certificado será gerado usando a informação do Ministério da Saúde encriptada com recurso à infraestrutura da Imprensa Nacional-Casa da Moeda".

O certificado irá mostrar que o seu titular foi vacinado, obteve um resultado negativo no teste ou recuperou da Covid-19 nos últimos seis meses, sendo emitido por autoridades nacionais como, por exemplo, hospitais, centros de testes, autoridades sanitárias, entre outras.

As informações serão apresentadas sob a forma de um código QR, que pode ser eletrónico (no smartphone ou tablet) ou impresso e digitalizado, durante a viagem. Este código, explica o Expresso, será uma espécie de minipassaporte virtual que contém a identidade do portador/viajante que pode ser mostrado à sua chegada no país de destino.

O certificado não é, todavia, um requisito obrigatório para quem viaja na UE — o seu intento é facilitar e acelerar os procedimentos. 

Este 'livre-trânsito' é considerado um elemento fundamental para ajudar à recuperação económica da Europa no contexto da crise pandémica, designadamente para que "turismo possa ser uma fonte de reanimação da economia este verão", como apontou recentemente o presidente em exercício do Conselho da UE durante a sua aprovação, António Costa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.