A China prepara-se para tentar pousar um pequeno robô teleguiado na superfície de Marte, uma operação particularmente delicada que demonstra as ambições espaciais cada vez mais ousadas de Pequim.

A sonda, Tianwen 1, que alcançou a órbita do Planeta Vermelho em fevereiro, consiste em três elementos, incluindo um módulo que pousará sobre a superfície de Marte nos próximos dias, ou mesmo nas próximas horas. Tal permitirá que um robô controlado remotamente, chamado Zhurong (o deus do fogo, na mitologia chinesa), saia à superfície para analisar o planeta.

Desde 1960, mais de 40 missões espaciais foram dedicadas a Marte. Até agora, no entanto, menos da metade teve sucesso, e apenas os americanos conseguiram operar dispositivos.

Estas foram as principais missões:

Perseverance

Em fevereiro, a NASA conseguiu pousar em Marte o veículo espacial Perseverance, projetado para se deslocar no Planeta Vermelho. É o quinto veículo deste tipo a ter sucesso na sua jornada a Marte, mas o primeiro numa missão para encontrar provas de vida passada.

Perseverance é o maior e mais complexo veículo já enviado para o planeta. Pesa uma tonelada e está equipado com um braço que mede mais de dois metros.

No mês passado, durante esta missão, a NASA fez vooar um pequeno helicóptero, o Ingenuity, em Marte. Tornou-se o primeiro veículo motorizado a sobrevoar outro planeta.

créditos: EPA/NASA

Esperança

A sonda Amal ("Esperança" em português, também conhecida como "Hope") foi a primeira sonda árabe enviada a Marte. Foi lançada em julho passado pelos Emirados Árabes Unidos, dias antes da sonda chinesa Tianwen-1 e da americana Perseverance.

Amal, que está em órbita marciana desde fevereiro, foi projetada para descobrir os segredos do clima.

Schiaparelli

Em 2016, a sonda europeia Schiaparelli, batizada em homenagem a um astrónomo italiano do século XXI, caiu em Marte. Mas no mesmo ano, o veelho continente conseguiu colocar a sonda de exploração TGO na órbita do Planeta Vermelha.

A missão ExoMars russo-europeia, que estava programada para enviar um robô para perfurar o solo marciano no verão de 2020, foi adiada até 2022 por dificuldades técnicas exacerbadas pela atual pandemia de coronavírus.

Curiosity

O robô americano Curiosity pousou em Marte em agosto de 2012. Este artefacto, o único ainda ativo no planeta, demonstrou que o mesmo foi propício à vida microbiana num passado distante e que deveria ser potencialmente habitável.

Em maio de 2008, Phoenix, outro aparelho americano, foi capaz de sondar o pergelissolo e confirmar a presença de água congelada.

Spirit e Opportunity

Dois robôs geológicos americanos pousaram em janeiro de 2004 para uma missão que continuou em 2010 com o Spirit e, em 2018, com o Opportunity.

Este último, campeão da distância extraterrestre percorrida (45 km), enviou mais de 200.000 imagens à Terra e descobriu vestígios de ambientes húmidos.

Marte 2 e 3

O Mariner 9 tornou-se, em novembro de 1971, o primeiro satélite em torno de Marte, do qual fez um mapa fotográfico detalhado, mostrando vestígios de vulcanismo e de erosão fluvial.

Em dezembro, a sonda soviética Marte 3 alcançou a superfície marciana, mas o módulo de pouso funcionou por apenas 20 segundos.

Poucos dias antes, Marte 2 também conseguiu entrar em órbita, mas o módulo de pouso caiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.