O lançamento do engenho tem sido sucessivamente adiado, desde 2017, tendo a ESA mencionado recentemente 17 de dezembro como nova data.

Trata-se da primeira missão da ESA dedicada ao estudo de planetas extrassolares, em colaboração com 11 países, incluindo Portugal, que integra a coordenação através do astrofísico Nuno Santos, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA).

Outros investigadores do IA, como Susana Barros e Sérgio Sousa, participam na equipa científica.

Os cientistas do IA vão estar envolvidos na caracterização do tamanho dos planetas e da sua atmosfera, adiantou à Lusa Susana Barros, acrescentando que outros investigadores vão processar os dados enviados pelo satélite.

A participação portuguesa na missão é assegurada também pela empresa de engenharia Deimos, responsável pelos sistemas de processamento de dados.

O satélite ficará posicionado na órbita terrestre, a uma altitude de 700 quilómetros, e irá observar estrelas brilhantes hospedeiras de exoplanetas com um tamanho variável entre a Terra e Neptuno.

O CHEOPS (CHaracterising ExOPlanet Satellite, Satélite Caracterizador de Exoplanetas) permitirá aos cientistas medirem a massa e o raio destes planetas e o tempo que demoram a orbitar a sua estrela.

O satélite irá estar decorado com duas placas metálicas onde estão gravados desenhos feitos por crianças, inclusive portuguesas.

Esta missão antecede uma outra da ESA, a PLATO, destinada a "caçar" novos planetas fora do Sistema Solar e que tem lançamento previsto para 2026.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.