Os presidentes das câmaras de Torres Vedras (Carlos Bernardes) e de Alenquer (Pedro Folgado) disseram em conferência de imprensa que o programa festivo procura “divulgar a região pelo vinho e aproximar os produtores dos turistas, da restauração, dos agentes turísticos e outros agentes económicos”.

“Nos restaurantes, há muito poucos vinhos de Lisboa o que não se justifica”, salientaram, motivo pelo qual uma das ações é a atribuição de um selo a todos os restaurantes que adiram à ideia de promover seis vinhos de Torres Vedras e outros seis de Lisboa.

O programa contempla o Festival das Artes ‘Wnie Cellars & Art Fest Portugal, que sob a curadoria do músico Nuno Côrte-Real junta artistas das artes plásticas, da música, literatura, enologia, gastronomia, artes cénicas nas adegas, que se transformam em espaços culturais.

Concurso de curtas-metragens e de ideias de negócios, eventos gastronómicos, sessões de leitura de livros, encontros de artes plásticas, observações astronómicas com provas de vinhos, espetáculos de música, mostras de produtos locais, palestras sobre vinho e a cultura da vinha e espetáculos de teatro nas adegas integram também o programa hoje divulgado.

Alenquer e Torres Vedras partilham o título de ‘Cidade Europeia do Vinho 2018’, depois de Portugal, ao vencerem em novembro a candidatura apresentada.

A Rede Europeia de Cidades do Vinho (RECEVIN) já atribuiu o título de Cidade Europeia do Vinho a Palmela (2012, Portugal), Marsala (2013, Itália), Jerez de la Frontera (2014, Espanha), Reguengos de Monsaraz (2015, Portugal), Conegliano Valdobbiadene (2016, Itália) e Cambados (2017, Espanha).

Concorreram ao título cidades portuguesas e gregas, tendo ficado impedidas de se candidatarem Itália, França e Espanha.

Do lado português, disputaram o título Cantanhede, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Peso da Régua e Silves, além de Torres Vedras e Alenquer.

A Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN), que integra municípios de 11 países europeus, lançou em 2012 o concurso anual "Cidade Europeia do Vinho", para intuito turístico.

A RECEVIN - Rede Europeia de Cidades do Vinho é constituída por cidades com forte dependência económica da viticultura e que se localizam em áreas protegidas.

A RECEVIN dedica-se à promoção dos vinhos das diferentes denominações de origem para a dinamização da economia dos respetivos territórios.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.